VEJA NOSSAS NOVIDADES



mid-shot-woman-therapist-with-clipboard.jpg
28/set/2022

A medicina personalizada é um novo conceito de assistência pessoal que oferece inúmeras vantagens aos clientes que desejam maior atenção à saúde e bem-estar. O primeiro de todos é a possibilidade de encontrar clínicas, hospitais, laboratórios e profissionais 100% destinados à sua necessidade, ou seja, com o máximo de precisão e agilidade. Que tal conhecer os principais diferenciais? Continue a leitura do post de hoje, aqui no blog da Gema Brazil. Aproveite para compartilhar o conteúdo com amigos e familiares.

Medicina Personalizada: conheça os principais diferenciais

1 – Concierge especializado

Na Gema Brazil, você conta com um concierge especializado em medicina personalizada. Em outras palavras, um profissional com amplo conhecimento para encontrar e agendar o que você precisa no campo da saúde.

2 – Serviços englobados

A medicina personalizada consiste em um modelo de gestão completo. Ou seja, oferece serviços de ponta para encontrar, negociar, agendar, avaliar e intermediar tudo o que você precisa para ter a saúde em dia. Em suma, uma assistência completa que garante mais comodidade.

3 – Cobertura Nacional e Internacional

Quem é cliente da Gema Brazil sabe que pode confiar em um atendimento completo, em todo o Brasil. A cobertura é nacional para todos os clientes e, a partir da categoria Platinum, também nos EUA.

Leia no Blog: 7 sinais de infarto para redobrar a atenção

4 – Tranquilidade

Para evitar o estresse e literalmente perder tempo, a Gema Brazil cuida de todos os trâmites para você que deseja um atendimento médico de primeira linha. É tranquilidade pura, inclusive para agendar consultas, remarcar datas e assim por diante. Você não precisa se preocupar com nenhum detalhe.

5 – Confiança

Quem já procurou serviços médicos sabe muito bem que não são todos os profissionais ou empresas 100% confiáveis. Justamente por isso, é comum procurar indicações de amigos e familiares. Dentro desse cenário, a Gema Brazil conecta você com o que tem de melhor no mercado.

6 – Indicações estéticas

Dentro do bem-estar, a estética é fundamental. A Gema Brazil acredita nisso e também coloca à disposição dos clientes uma gama de profissionais e empresas da área. Tudo ao seu alcance, sempre que precisar.

7 – Além da saúde

Um grande diferencial que você precisa conhecer é a assistência para viagens e serviços variados. Isso quer dizer que o Concierge pode cuidar da tramitação de visto, agendar passagens aéreas e hospedagem, traslados e muito mais. Também cuida de detalhes de tradução e alimentação. Por exemplo, para encontrar os melhores restaurantes e fazer reservas.

Gema Brazil – Cuidado personalizado para a sua saúde

Os concierges da Gema Brazil cuidam de todos os detalhes burocráticos para você ter o atendimento médico ideal, dos casos mais simples aos mais complexos, sempre que você precisar. Ou seja, um trabalho 100% personalizado para encontrar hospitais e laboratórios, agendar consultas e muito mais. Em outras palavras, um suporte profissional, ágil e completo para que você tenha uma rotina mais tranquila e saudável. Quer saber como tudo isso funciona na prática? Envie uma mensagem via WhatsApp ou na página de contato. 


madison-lavern-4gcqRf3-f2I-unsplash.jpg
22/set/2022

Foco na saúde mental. O Setembro Amarelo é uma campanha que existe desde 2014. Uma criação da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Seu objetivo é bem claro: alertar sobre o suicídio no Brasil. Basicamente, um mês de alerta sobre a importância de cuidar da saúde mental. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura do post de hoje, aqui no blog da Gema Brazil.

Leia no Blog: 7 sinais de infarto para redobrar a atenção

A importância da saúde mental é o foco do Setembro Amarelo

Existem muitos tabus sobre a importância da saúde mental, o foco da campanha de Setembro Amarelo. Você certamente já ouviu alguns deles. Por exemplo, que cuidar da saúde mental é sinal de fraqueza. Ou que é algo sem importância. Algo que não devemos nos preocupar. Porém, não é bem isso que acontece. A saúde mental orienta a nossa vida. Está relacionada ao bem-estar e à felicidade no dia a dia.

O impacto negativo disso é o descaso. É deixar de procurar ajuda quando mais é necessário. Ou seja, não dar a devida importância para algo que é bem sério. Por outro lado, quem reconhece o valor da saúde mental, vive com mais tranquilidade. Além disso, sabe que em momentos mais profundos e sérios, é possível buscar ajuda de quem é especialista na área.

E isso não vale apenas para o próprio cuidado. Faz toda a diferença observar com atenção alguns sinais em amigos e familiares. Pessoas próximas podem precisar de ajuda e você pode ser o primeiro contato de suporte. Confira algumas dicas para colocar em prática no dia a dia:

  • Converse com os amigos sempre que necessário.
  • Dê exemplos ao orientar.
  • Tente motivar a visão pelo lado positivo de uma situação.
  • Esteja próximo.
  • Seja uma fonte de positividade.
  • Compartilhe emoções.
  • Esteja aberto ao diálogo.
  • Transmita confiança.

Uma boa e sincera conversa pode fazer a diferença. Isso acontece porque a pessoa com a saúde mental fragilizada, na maioria dos casos, precisa de um ombro amigo. Precisa se sentir querida e reconhecer em terceiros, um caminho para uma vida mais feliz. Ao compartilhar as próprias emoções e experiências, você pode se tornar um exemplo a ser seguido. Uma fonte de inspiração.

Leia no Blog: alimentação pós-parto é muito importante para amamentação

Você já ouviu falar sobre os pilares da saúde mental?

A saúde mental, ao longo da vida, é sustentada por alguns pilares. Como acontece em uma residência, os pilares emocionais sustentam a nossa saúde mental. Entendemos por pilares emocionais tudo aquilo que damos valores especiais. Por exemplo, o casamento ou a carreira. Os filhos e o trabalho. As amizades e assim por diante. Quando um destes pilares é abalado ou mesmo destruído, nossa saúde mental é afetada. Por exemplo, quando o casamento chega ao fim. Assim como, quando perdemos o emprego.

Sinais de alerta

Da mesma forma que devemos cuidar diariamente da saúde mental, também devemos olhar com atenção para alguns sinais de alerta junto a amigos e familiares:

  • Tristeza.
  • Falta de esperança.
  • Sentimento de culpa e desamparo.
  • Dificuldade de concentração.
  • Problemas para dormir.
  • Alterações de peso.
  • Desinteresse pela vida profissional ou social.
  • Mudança repentina da qualidade do sono.
  • Medos incontroláveis.

Dicas para cuidar da saúde mental

Devemos “alimentar” o cérebro com positividade para cuidar da saúde mental. Ou seja, devemos consumir aquilo que nos faz bem. Dentro desse cenário, podemos pensar em assistir séries ou filmes. Ou, também, jogar futebol com os amigos, sair para jantar com o namorado e assim por diante. Quando fazemos o que gostamos, nosso cérebro entende que estamos querendo adicionar boas experiências.

Além disso, algumas práticas são recomendadas. Por exemplo, praticar exercícios físicos. Durante o esforço do corpo, ocorre a liberação de dopamina, um neurotransmissor que gera a sensação de prazer. É o chamado “hormônio da felicidade”. Ao mesmo tempo, ocorre a redução de hormônios que levam ao estresse, como o cortisol. Quando pensamos em sintomas de depressão e ansiedade, é uma combinação muito indicada.

A espiritualidade também ajuda. Isso porque, auxilia na concentração e na própria respiração. Ajuda a nos conectar com as próprias emoções. A queda na inquietação contribui para maior reflexão sobre a própria vida, os desafios, os dilemas e assim por diante.

Gema Brazil – Cuidado personalizado para a sua saúde

Os concierges da Gema Brazil cuidam de todos os detalhes burocráticos para você ter o atendimento médico ideal, dos casos mais simples aos mais complexos, sempre que você precisar. Um trabalho 100% personalizado para encontrar hospitais e laboratórios, agendar consultas e muito mais. Em outras palavras, um suporte profissional, ágil e completo para que você tenha uma rotina mais tranquila e saudável. Quer saber como tudo isso funciona na prática? Envie uma mensagem via WhatsApp ou na página de Contato do site.


robert-greinacher-0mYdfOlb0Zw-unsplash.jpg
22/ago/2022

Para uma vida mais tranquila e saudável, cuidar da saúde cardiovascular é fundamental. E isso engloba redobrar a atenção com os principais sinais de infarto que o nosso corpo manifesta. A prevenção é a palavra-chave para evitar algo mais grave. Continue a leitura do post de hoje, aqui no blog da Gema Brazil, e confira mais sobre o assunto.

7 sinais de infarto

1 – Dor permanente no peito: importante não confundir com pontadas no peito ou dor em alguns momentos. A dor no peito que pode sinalizar infarto é permanente e, inclusive, pode irradiar para braços, pescoço, mandíbula e costas.

2 – Compressão e ardor no peito: um sintoma semelhante à azia, com duração superior a 20 minutos.

3 – Transpiração excessiva: é um sinal de alerta para casos de infarto, principalmente quando ocorre sem razão aparente.

4 – Falta de ar: se em repouso você sente falta de ar, redobre a atenção.

5 – Vômitos, tonturas e náuseas: os sintomas listados até aqui podem provocar náuseas, vômitos e tonturas. Porém, é importante que o médico responsável saiba diferenciar caso a caso, principalmente quando há suspeita de desconforto digestivo.

6 – Desmaios: quem não cuida da saúde cardiovascular pode sofrer com desmaios constantes, seja em razão de arritmias, pressão alta ou infarto agudo do miocárdio. Os desmaios sinalizam o enfraquecimento do corpo.

7 – Ansiedade: uma das manifestações que indicam um problema que pode ser mais grave, é a ansiedade. Todavia, é fundamental diferenciar as situações. A ansiedade, sozinha, é outra situação que requer atenção de um psiquiatra e psicólogo.

 

Gema Brazil – Cuidado personalizado para a sua saúde

Os concierges da Gema Brazil cuidam de todos os detalhes burocráticos para você ter o atendimento médico ideal, dos casos mais simples aos mais complexos, sempre que você precisar. Um trabalho 100% personalizado para encontrar hospitais e laboratórios, agendar consultas e muito mais. Em outras palavras, um suporte profissional, ágil e completo para que você tenha uma rotina mais tranquila e saudável. Quer saber como tudo isso funciona na prática? Envie uma mensagem via WhatsApp ou na página de Contato do site.


3B129DDA-A740-48CD-AFD3-C353FBD52981.jpeg
16/ago/2022

Durante o período após o parto, que dura cerca de 40 dias, é muito comum que as mulheres fiquem ansiosas para que o corpo volte a ser o que era antes da gravidez.

Mas algumas ficam bastante ansiosas com a questão do peso, ou melhor, o excesso dele, no pós-parto. Na tentativa de resolver isso, tentam comer menos ou restringir o consumo de alimentos para acelerar a perda desses quilos a mais. O problema é que isso não é recomendado e pode trazer consequências negativas para a saúde tanto dela como do bebê.

Até o sexto mês de vida do bebê, o recomendado é que ele seja alimentado apenas com leite materno. E um dos fatores que influencia diretamente na capacidade da mulher de produzir ou não esse leite é justamente a ingestão de nutrientes. Isso porque a mulher gasta, em média, 500 a 700 calorias por dia com a amamentação. Se ela restringir demais sua alimentação, o corpo não vai ter combustível para continuar produzindo o alimento e, em casos extremos, pode encerrar a produção para não comprometer outras funções. Outro problema de seguir dietas restritivas nesse período é que a mãe pode apresentar uma falta de nutrientes importantes para a própria saúde, criando problemas para si mesma.

As proteínas, por exemplo, são parte do leite materno, por isso, se não forem consumidas em quantidade suficiente, podem provocar uma perda de massa magra no organismo da mãe. A deficiência de ferro e a falta de vitaminas também são problemas que podem ocorrer caso a alimentação se mantenha restrita. Por isso, é importante que a mulher busque ter uma alimentação variada, com um bom aporte de todos os nutrientes (incluindo gorduras e carboidratos, erroneamente considerados “vilões” pelas dietas restritivas) para conseguir ter energia suficiente para alimentar o bebê

Os especialistas orientam que a mulher deve manter uma dieta saudável, priorizando alimentos frescos e comida caseira, evitando os ultraprocessados e o excesso de gorduras e sódio.


9D0D84CE-16E0-4780-8282-088236F8B169.jpeg
29/jul/2022

Na atual situação que vivemos, muitas pessoas acreditam que a sua saúde mental está em risco. Isso porque encontramos alguns desafios em nosso cotidiano causados pelas mudanças devido ao coronavírus.

Além das obrigações rotineiras, há também uma gigantesca carga de informações, muitas vezes conflituosas e desgastantes, dos meios de comunicação, redes sociais etc…

Mesmo em casa não conseguimos descansar a mente completamente. Ela está sempre trabalhando, absorvendo informação e nos forçando a tirar conclusões sobre assuntos que não temos um profundo conhecimento.

Fazer uma pausa e respirar fundo em meio ao caos é importante. Quando não desaceleramos, danificamos a nossa saúde mental.

As pessoas tendem a não prestar atenção nisso porque mesmo quando cultivamos hábitos danosos conseguimos funcionar por um tempo. Porém, ainda não conseguimos desacelerar por nós mesmos.

Mas então como cuidar da saúde mental?

Alguns hábitos podem te ajudar a manter o psicológico saudável.

  • Não passe muito tempo nas redes sociais.
  • Pratique exercícios físicos regularmente.
  • Se afaste de pessoas com pensamentos ruins.
  • Se preocupe mais com você e tente meditar ao menos uma vez ao dia.
    Com esses simples hábitos a sua saúde mental se manterá equilibrada.

2053D3F4-ED7C-458E-AEF3-FC9847FD13A8.jpeg
29/jul/2022

A dependência alimentar é real e acontece com muitas pessoas. A comida é sua fraqueza? Você é incapaz de controlar seus desejos? Costuma se sentir insatisfeito, apesar de seu estômago estar cheio? Você pode estar sofrendo de dependência de comida.

Sempre ouvimos que tudo na vida deve ser feito com moderação, incluindo a comida que você come. No momento em que essa linha é cruzada, isso se torna perigoso e passa a se assemelhar ao vício em drogas.

Quando uma pessoa consome heroína, seu cérebro torna-se fisiologicamente dependente da droga e seus padrões comportamentais são criados conforme a necessidade de consumo. Isso é o vício: o usuário precisa da heroína tanto de forma biológica quanto comportamental. Quando ele não a obtém, ele a deseja, mesmo que não goste mais e saiba que a droga é ruim para ele. Se a droga é suspensa por tempo suficiente, o viciado experimenta sintomas de abstinência.

Algumas pesquisas nos USA traçaram vários paralelos entre a heroína e a comida. Primeiramente, drogas e comida causam igualmente uma sensação de bem-estar. As drogas percorrem o caminho da ‘recompensa’ no cérebro que foi originalmente criado para a comida, ao longo da evolução.

Por isso, o desejo pelas drogas é uma versão extrema do sentimento de fome e satisfação que vem do ato de comer.

Mas afinal, o que é o vício em comer?

Por mais simples que possa ser, a dependência alimentar é definida como um relacionamento pouco saudável com a comida e, na maioria dos casos, refere-se ao vício em ‘junk food’ (lanches, doces, salgadinhos, etc.). A comida tende a acionar os centros de prazer e recompensa no cérebro. As pessoas que são viciadas em comida experimentaram um aumento da produção de dopamina, que controla o sentimento de prazer e recompensa do cérebro – a dopamina também é produzida no uso de heroína ou cocaína.

Isso faz com que a pessoa queira cada vez mais a comida. Cresce o desejo por alimentos altamente palatáveis, como os ricos em açúcar e gorduras. As recompensas obtidas ao comer esses alimentos ativam os sinais que o cérebro fornece ao sentir-se pleno e satisfeito.

É importante esclarecer que não existe o vício em comida, e sim o vício de comer. Muitos pesquisadores argumentam que, em vez de pensar em certos tipos de alimentos como viciantes, seria mais útil falar de um vício comportamental no processo de comer e na ‘recompensa’ associada a ele.

O termo ‘vício por comer’ enfatiza o componente comportamental, enquanto ‘vício por comida’ parece mais um processo passivo que simplesmente acontece com o indivíduo, o que não é verdade.

Você é viciado em comer?

Embora possa levar muito tempo para que as consequências ocorram fisicamente, você começa a se sentir emocionalmente esgotado. O ganho de peso devido à alimentação excessiva começa a parecer uma consequência aceitável. Esses e outros comportamentos podem indicar que você é viciado em comer.

Ingerir alimentos gordurosos e cheios de açúcar pode causar danos ao coração, o que pode levar a um aumento nos níveis de colesterol e da pressão sanguínea. Ser viciado em comer pode ser mais complicado do que você pensa e difícil de diagnosticar, por isso, fique atendo aos seis sinais descritos abaixo.

1 – Você se entrega compulsivamente a comer demais? O excesso compulsivo é uma forma de mudança comportamental que se mostra fisicamente quando se é viciado em comer. Você fica tão preocupado com o hábito de comer que nem percebe os outros hábitos que desenvolve.

2 – Você come mais e mais apenas para descobrir que não está satisfeito com essa quantidade. Isso começa a sobrecarregar você emocionalmente.

3 – Mesmo depois de se alimentar com a quantidade correta de nutrientes necessários, você continua a querer mais e os desejos atingem um nível perigoso, de uma forma que você não pode controlar sua vontade por mais comida. Especialmente comidas ricas em trigo, açúcar ou gorduras.

4 – Quando você começa a se alimentar, acha difícil parar de comer de tal forma que experimenta uma sensação de estar “cheio” excessivamente no final da refeição.

5 – Quando você se alimenta demais, acaba se sentindo culpado por comer aquela pizza ou aquela sobremesa. Na hora pode parecer normal, mas depois você se questiona e se arrepende muitas vezes. Mesmo assim, a culpa não atrapalha seu desejo por comer mais.

6 – Você se sente envergonhado e esconde seus hábitos pouco saudáveis dos outros. Você se sente consciente do problema e tenta esconder seu comportamento, evitando comer na frente de outra pessoa. E sente-se estressado e desconfortável ao pedir alimentos menos saudáveis quando está com seus colegas.

Diagnosticar o fato de que você é viciado em comer é o primeiro passo para a recuperação. Evite alimentos que ativam o botão de prazer no cérebro. Faça uma lista desses alimentos ‘proibidos’ para se lembrar dos efeitos prejudiciais que eles podem causar em seu corpo e em seu cérebro e, conscientemente, você começará a fazer um esforço para resistir.

Se isso não funcionar, procure ajuda profissional. A dependência alimentar é um problema sério, mas a falta geral de consciência das causas e consequências desse problema dificultam seu diagnóstico e tratamento.


AdobeStock_206124704-e1559049996631-1200x800.jpeg
29/jul/2022

  1. Nos dias atuais não há quem não reclame que a vida está corrida. E pela falta de tempo, cada vez mais pessoas esquecem de priorizar a saúde.

O trabalho – e toda a rotina que advém dele – acaba tomando conta da agenda diária das pessoas e o corpo, que foi feito para estar em constante movimento, vai perdendo sua mobilidade e ficando cada vez mais parado.

E como consequência dessas escolhas, muitos deixam de lado a prática de atividades físicas, fazendo com o que o número do sedentarismo cresça assustadoramente.

A maioria dos profissionais de saúde recomendam que devemos andar 10 mil passos por dia. Este seria o número ideal para melhorar a saúde e reduzir os riscos causados pela inatividade.

Uma das piores coisas que você pode fazer com o seu corpo é não fazer nada: passar o dia sentado pode ser tão perigoso quanto ser obeso, de acordo com um estudo da Universidade de Cambridge.

Quais os perigos do sedentarismo para a saúde?

Mundialmente, um em cada quatro adultos não está se movimentando o suficiente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. E mesmo se você acha que é uma pessoa ativa, pode estar passando tempo demais na frente da TV quando não está na academia, o que também coloca sua saúde em risco.

Uma das mais graves consequências do sedentarismo é sem dúvida a obesidade. O número de pessoas obesas cresce cada dia, sejam adultas ou crianças, a obesidade é sem dúvida um mal do nosso tempo.

A obesidade não é a única consequência do sedentarismo, existem outras prejudiciais para a saúde como o aumento do risco de câncer; diabetes tipo 2; desenvolvimento de doenças cardiovasculares; pressão alta e níveis elevados de colesterol.

Além disso, os efeitos do sedentarismo vão muito além do que você pensa. Claro, seu comportamento sedentário pode prejudicar seu coração e aumentar o peso, mas também pode ser responsável por alguns efeitos mais surpreendentes.

Sintomas e consequências do sedentarismo

Sedentarismo contribui para ansiedade e depressão: Nota-se que além do impacto físico, o sedentarismo traz também um impacto negativo no bem-estar mental da pessoa. Segundo alguns estudos, quem tem um estilo de vida sedentário tem maiores problemas com sua saúde emocional mental.

Anda sentindo-se deprimido? É culpa da sua cadeira! Depois de pesquisar mais de 3.300 funcionários do governo, pesquisadores australianos descobriram que homens que permaneciam mais de 6 horas por dia no trabalho tinham 90% mais chances de sentir distúrbios psicológicos moderados – como se sentir nervosos, inquietos, desesperados ou até cansados – do que homens que se sentaram por menos de 3 horas por dia.

Sedentarismo aumenta o risco de câncer: Uma análise alemã de 43 estudos diferentes, incluindo mais de 4 milhões de pessoas, descobriu que o comportamento sedentário aumenta significativamente o risco de vários tipos de câncer.

As pessoas que registraram o maior tempo sentadas experimentaram um risco 24 por cento maior de desenvolver câncer de cólon, um risco 32 por cento maior de câncer de endométrio e um risco 21 por cento maior de câncer de pulmão.

Além disso, os riscos dobram em pessoas que geralmente gastam seu tempo sentados na frente da TV, possivelmente porque você tende a comer bebidas açucaradas e junk foods, dizem os pesquisadores.

Sedentarismo prejudica sua memória: Sua saúde cerebral sofre quando você fica sentado por muito tempo: adultos mais velhos que são sedentários podem ter a mesma probabilidade de desenvolver demência do que pessoas geneticamente predispostas à condição, descobriu uma nova pesquisa publicada no Journal of Alzheimer’s Disease.

Em um estudo com mais de 1.600 adultos com 65 anos ou mais, os pesquisadores descobriram que pessoas com um gene fortemente associado à demência tinham quase duas vezes mais chances de desenvolvê-lo do que pessoas sem o gene. Mas quando olhavam para pessoas que não se exercitavam regularmente, descobriram que suas chances de desenvolver demência eram semelhantes.

Sedentarismo causa picos de açúcar no sangue: Mesmo se você estiver com um peso saudável, seus níveis de açúcar no sangue podem aumentar se você ficar parado em uma cadeira por muito tempo. Na verdade, os adultos sedentários têm maior probabilidade de ter níveis de açúcar no sangue de 5,7% ou mais, que é alto o suficiente para ser considerado pré-diabético.

Sedentarismo prejudica sua vida sexual: Seu comportamento sedentário pode levar a uma problemas sexuais. Homens com uma barriga maior – ou uma cintura de 100 cm ou mais – têm probabilidade duas vezes maior de ter disfunção erétil (DE) do que aqueles com cinturas abaixo de 80 cm, segundo um estudo de Harvard.

Sedentarismo reduz a qualidade do sono: Você já sentiu que dormiu mais profundamente depois de fazer um ótimo treino? Isso porque o exercício de pelo menos 150 minutos por semana pode melhorar a qualidade do seu sono. Quando as pessoas praticam atividade física, o risco de sonolência diurna cai em comparação com as pessoas que não se exercitam.

Sedentarismo causa dores na coluna:  Os efeitos de curvar-se na frente do computador podem durar além do seu dia de trabalho. Sentar-se por apenas 4 horas seguidas pode aumentar a pressão sobre os discos da região lombar. Essa compressão pode levar à degeneração do disco, um culpado comum por trás da famosa dor nas costas.

Como resolver os problemas causados pelo sedentarismo?

A solução para evitar os males do sedentarismo é bem simples: movimente-se!

O aumento da atividade física pode trazer fim para os problemas causados pelo sedentarismo.

Desta forma, inclua em sua rotina diária exercícios físicos regulares. Se a sua vida é bem corrida, organize-se, planeja-se e você verá que sempre tempo para cuidar da sua.

O que falta muitas vezes é um planejamento e, também, definições de prioridade. Em nosso dia-a-dia priorizamos reuniões, trabalho e esquecemos que para tudo isso funcionar é necessário ter saúde.

Por isso é fundamental que o sedentarismo saia da sua vida o mais rápido possível.

Algumas mudanças no cotidiano podem trazer benefícios rápidos para nossa saúde:

  • Vá caminhando ou de bicicleta para o trabalho;
  • Na hora do almoço faço passeios a pé por onde trabalha;
  • Lembre-se de se levantar a cada 30 minutos no trabalho;
  • Aproveite o tempo livre para se movimentar e não só assistir televisão;
  • Troque o elevador por escada.

Veja alguns dos benefícios do exercício físico para a saúde:

  • Controle do peso;
  • Melhora do perfil do lipidograma;
  • Melhora do humor;
  • Aumento da produção de energia;
  • Sono equilibrado;
  • Melhora do apetite sexual.

O corpo fica “feliz” com a prática de atividades físicas, tanto que mesmo cansado depois de atividade física, a sensação é de renovação e bem-estar.

É mais fácil do que você pensa de acabar com o sedentarismo, basta ter vontade, se planejar e criar novos hábitos saudáveis. Aumentando a quantidade de atividade física os riscos de uma vida sedentária acabam.


2C4A1545-3656-4B41-AFC5-72628364FA28.jpeg
07/jul/2022

Os exames periódicos são capazes de detectar e prevenir doenças. Veja quais exames você deve fazer e conheça novas tendências de consulta médica.

Uma das maiores vantagens da medicina moderna e de seu progresso é o fato de que as doenças mais comuns hoje em dia podem ser tratadas, curadas ou controladas com sucesso, se diagnosticadas oportunamente.

Infelizmente, muitos pacientes aguardam o motivo mais comum para procurar ajuda médica: a dor. Como muitas doenças graves tendem a ficar em silêncio por um longo tempo antes de expor os primeiros sintomas, isso leva à perda de tempo precioso e a oportunidades de intervir com o tratamento a tempo. Os exames periódicos, também conhecidos como check-ups de rotina, são um importante método preventivo para garantir sua saúde e bem-estar a longo prazo.

 

Eles devem ser acompanhados sempre pelo seu médico de confiança, de preferência a mesma pessoa durante um longo período, para que ele possa acompanhar seu histórico médico e monitorar de perto os problemas de saúde já existentes. Alguns exames e análises de rotina podem ser realizados de vez em quando, sem programação precisa, enquanto outros testes específicos para algumas condições têm seu cronograma e frequência recomendados que devem ser respeitados.

A importância dos exames periódicos

Seja por falta de tempo ou preguiça mesmo, a maioria das pessoas passa anos sem ir ao médico, buscando a medicina somente quando os primeiros sinais de uma doença surgem em seu corpo.

O que estas pessoas não sabem é que os exames periódicos são fontes importantes para o rastreamento e identificação preventiva de doenças precoces.

Os exames periódicos são testes clínicos nos quais o qual o médico atesta sobre o estado de saúde da pessoa, levando em consideração os hábitos e antecedentes familiares.

A importância de um exame periódico consiste na capacidade de identificar e tratar doenças em estágios iniciais, o que aumenta drasticamente as chances de cura e recuperação do paciente.

 

Exames periódicos devem incluir testes laboratoriais

Exames de sangue de rotina, assim como alguns outros testes de laboratório, se realizados ocasionalmente, podem revelar uma miríade de condições subjacentes ou pelo menos sugerir que há algo errado com alguns dos órgãos.

Assim, o exame preventivo deve incluir hemograma completo com fórmula de glóbulos brancos, a concentração de açúcar no sangue, eletrólitos, análise de colesterol e outras frações de gordura no sangue, enzimas hepáticas e parâmetros renais, entre outros que o paciente exigir.

O teste específico deve incluir Papanicolau para mulheres, teste de antígeno específico da próstata, mamografia, exames de urina, imagem intestinal e radiografia de tórax.

 

Com que frequência devo fazer exames?

A frequência dos check-ups de rotina pode variar de pessoa para pessoa, pois ela se baseia no histórico de saúde de cada um, idade, sexo e hábitos.

Mas de um modo geral, para pessoas que não possuem qualquer problema de saúde, o indicado é que adultos devem fazer exames periódicos a cada dois anos.

Já aqueles que têm algum problema de saúde ou uma patologia na família, o indicado é fazer os check-ups anualmente.

Vale lembrar que quanto mais cedo se obtém um diagnóstico de uma doença, maiores são as chances de cura.

Por isso é tão importante que você passe em consulta médica rotineira, mesmo sem ter qualquer sintoma de uma doença. Por exemplo, uma mulher que está com o Papanicolau em dia poderá ficar tranquila quanto ao câncer de colo uterino.

Quais exames devo fazer periodicamente?

Alguns exames periódicos são mais específicos e indicados com base em faixas etárias, sexo e especialidades. Abaixo listamos alguns desses exames para que você possa conhecer melhor e agendar uma consulta com seu médico.

Mulheres: colposcopia, vulvoscopia, papanicolau, ultrassonografia de mamas e transvaginal.

Homens a partir dos 40 anos: dosagem do hormônio PSA e ultrassonografia de próstata.

Homens e mulheres após os 18 anos: devem ter um acompanhamento da dosagem hormonal.

Fumantes: Pessoas que fumam devem efetuar exames com marcadores tumorais, como alfafetoproteína, CEA e CA 19.9 e também fazer espirometria com avaliação de função respiratória, além de eletrocardiograma com prova de esforço e análise de expectoração com pesquisa de células cancerígenas.

Crianças: engana-se quem pensa que só adultos fazem exames de rotina. Já na maternidade é feito o primeiro check-up – o teste do pezinho. Com ele é possível antecipar a existência de algumas doenças importantes e iniciar o tratamento antes mesmo dos sintomas se manifestarem.

O teste do olhinho também é um importante exame do qual a criança deve ser submetida. Ele serve para investigar catarata congênita, glaucoma, cegueira e outros problemas.

Crianças de dois  anos de idade com pais e avós que apresentem problemas cardiovasculares e colesterol devem iniciar também os check-ups.

Já aquelas que não possuírem histórico familiar com doença poderão fazer seus primeiros exames entre 5 e 10 anos de idade.

Adolescentes: com o crescimento rápido, muitos adolescentes costumam apresentar anemia e, por isso, devem ter acompanhamento médico também entre 11 e 18 anos.

Pessoas em geral:

  • Exame de urina
  • Exame de fezes
  • Ureia e creatinina
  • Ácido úrico
  • Glicemia em jejum
  • Hemograma
  • Colesterol total e frações
  • Triglicerídeos
  • TGO/AST e TGP/ALT
  • TSH e T4 livre
  • Fosfatase alcalina
  • Gama-glutamiltransferase (GGT)
  • PCR
  • Raio X de tórax
  • Ultrassom de abdômen total
  • Densitometria óssea

 

O fato é que os exames de rotina são procedimentos fundamentais dentro da medicina capaz de avaliar o estado de saúde de uma pessoa. Portanto é imprescindível que você faça os exames recomendados de acordo com seus hábitos, sintomas e histórico familiar.

A Gema Brazil oferece a você o check-up executivo. Saiba mais no nosso site.


2053D3F4-ED7C-458E-AEF3-FC9847FD13A8.jpeg
21/jun/2022

Conheça os principais alimentos que ajudam e fortalecem o paciente com câncer durante o tratamento de quimioterapia.

É muito comum o apetite do paciente com câncer mudar ao longo do tratamento. Os efeitos colaterais da quimioterapia, as lesões nas bocas e alterações no paladar são os principais motivos para isso. A quimioterapia dificulta a relação do paciente com a comida, muda o seu sabor, em alguns casos, pode até mesmo piorar as náuseas e mal-estar e tira o prazer de comer.

A comida é sem dúvida um dos grandes prazeres do ser humano e, quando isso é tirado de uma pessoa, é comum que ela sinta tristeza. É o que pode acontecer com algumas pessoas em tratamento com câncer. Elas se vêem privadas de tantas coisas da vida cotidiana que, quando isso afeta a sua alimentação também, acabam se entristecendo e, obviamente, enfraquecendo.

O problema é que a tristeza em excesso pode prejudicar muito o tratamento. Se os pacientes perderem a motivação e a perspectiva, podem se entregar e, em alguns casos, até desistir do tratamento. Sem contar que o estado emocional também afeta a imunidade do paciente. O sistema imunológico é muito sensível às mudanças no estado físico, emocional e psicológico.

Comer bem e controlar o estresse e emoções são maneiras de aumentar o bem-estar. Por isso, é fundamental manter uma boa relação com a comida, para não perder este prazer que é comer.

É bem verdade que estas sensações são temporárias e costumam melhorar com o tempo para alguns pacientes. Mas até que isso ocorra, o paciente deve procurar seguir uma dieta específica, com os alimentos corretos para esta fase.

Uma dieta saudável e equilibrada pode ajudar a reduzir o risco do paciente se sentir mal durante o tratamento. Além disso, a quimioterapia, aliada a alimentos funcionais, é um poderoso instrumento no combate ao câncer.

Evitar bebidas adoçadas, comer alimentos integrais saudáveis, principalmente de origem vegetal, comer menos carne vermelha e processada, limitar o consumo de álcool e também do sal podem fazer a diferença na dieta do paciente em tratamento com a quimioterapia.

É importante também que o paciente não se sinta obrigada a comer determinado alimento apenas por sua propriedade. Se o gosto não lhe agrada, procure outros, até porque em uma alimentação equilibrada há diversos tipos de alimentos ricos em nutrientes que você poderá provar.

Como lidar com o tratamento da quimioterapia e seus efeitos colaterais?

O que você come é extremamente importante para auxiliar no tratamento com quimioterapia.

Perda do apetite

  • Prefira alimentos leves, saudáveis e de fácil ingestão;
  • Consuma alimentos de sua preferência;
  • Evite comidas com cheiros fortes, pois podem provocar náuseas.

Alterações no paladar e olfato

  • Evite carnes vermelhas, pois podem ficar com um sabor ‘metálico’;
  • Prefira comidas mais frias do que quentes;
  • Tempere os alimentos com ervas e suco de limão.

Dificuldade de engolir

A quimioterapia pode causar problemas de deglutição e aftas, o que pode tornar doloroso engolir os alimentos.

  • Consuma sucos de vegetais frescos (para aumentar ingestão de nutrientes);
  • Consuma alimentos macios como batata cozida, banana e cenoura cozida;
  • Evite alimentos picantes e salgados demais.

Enjoos

  • Faça pequenas refeições ao longo do dia
  • Evite beber muita água próximo às refeições;
  • Mastigue lentamente os alimentos;
  • Evite frituras e comidas muito gordurosas;
  • Evite bebidas gasosas;
  • Beba sucos de fruta gelado ao longo do dia

 

Diarreia

  • Beba bastante líquido;
  • Evite leite e seus derivados;
  • Evite a cafeína;
  • Evite alimentos gordurosos e muito condimentados;
  • Reduza a ingestão de fibras neste período.

Além destas dicas, há algumas medidas que podem ajudar durante o tratamento:

  • Procure consumir alimentos que parecem atrativos;
  • Selecione alimentos com uma variedade de cores, temperaturas e texturas;
  • Beba líquidos com frequência;
  • Use chicletes e balas para remover o gosto ruim da boca;
  • Tente usar utensílios de plástico se tiver um gosto amargo ou metálico na boca ao comer.

Acima de tudo, verifique sempre com seu médico para certificar-se de que estas medidas são as melhores para o seu caso.


228DFF72-7AE9-48C9-A7A1-414E37F829BF.jpeg
07/jun/2022

A fim de prevenir problemas relacionados  a doenças autoimunes, envelhecimento celular e enfraquecimento dos ossos, muitos médicos receitam altas doses de vitaminas D aos seus pacientes. Mas será que isso é realmente necessário?

Se pensarmos que o Brasil é um país que durante o ano inteiro a presença do sol é intensa, parece ser um exagero tantos pedidos de exames e prescrições para reposição de vitamina D. Já que a exposição solar é a maior fonte natural da vitamina.

Atualmente, estão mais comuns do que deveriam os pedidos médicos para os exames de vitamina D e as receitas que prescrevem a sua suplementação. E isso pode representar um perigo! Por isso uma segunda opinião médica é sempre importante.

Se a falta de vitamina D  traz problemas, as superdosagens também podem apresentar sérios riscos à saúde. A hipercalcemia, ou seja, o excesso de cálcio no sangue, é uma das consequências. O que pode causar pedras nos rins e consequentemente a perda de função desse órgão. A hipervitaminose D também pode prejudicar a saúde dos ossos.

Por isso fique atento e faça seus exames regularmente.