VEJA NOSSAS NOVIDADES



EF88EFCE-2731-440B-8626-3BC24D0B1A5C.jpeg
13/set/2021

Conheça os principais alimentos que ajudam e fortalecem o paciente com câncer durante o tratamento de quimioterapia.

É muito comum o apetite do paciente com câncer mudar ao longo do tratamento. Os efeitos colaterais da quimioterapia, as lesões nas bocas e alterações no paladar são os principais motivos para isso. A quimioterapia dificulta a relação do paciente com a comida, muda o seu sabor, em alguns casos, pode até mesmo piorar as náuseas e mal-estar e tira o prazer de comer.

A comida é sem dúvida um dos grandes prazeres do ser humano e, quando isso é tirado de uma pessoa, é comum que ela sinta tristeza. É o que pode acontecer com algumas pessoas em tratamento com câncer. Elas se vêem privadas de tantas coisas da vida cotidiana que, quando isso afeta a sua alimentação também, acabam se entristecendo e, obviamente, enfraquecendo.

O problema é que a tristeza em excesso pode prejudicar muito o tratamento. Se os pacientes perderem a motivação e a perspectiva, podem se entregar e, em alguns casos, até desistir do tratamento. Sem contar que o estado emocional também afeta a imunidade do paciente. O sistema imunológico é muito sensível às mudanças no estado físico, emocional e psicológico.

Comer bem e controlar o estresse e emoções são maneiras de aumentar o bem-estar. Por isso, é fundamental manter uma boa relação com a comida, para não perder este prazer que é comer.

É bem verdade que estas sensações são temporárias e costumam melhorar com o tempo para alguns pacientes. Mas até que isso ocorra, o paciente deve procurar seguir uma dieta específica, com os alimentos corretos para esta fase.

Uma dieta saudável e equilibrada pode ajudar a reduzir o risco do paciente se sentir mal durante o tratamento. Além disso, a quimioterapia, aliada a alimentos funcionais, é um poderoso instrumento no combate ao câncer.

Evitar bebidas adoçadas, comer alimentos integrais saudáveis, principalmente de origem vegetal, comer menos carne vermelha e processada, limitar o consumo de álcool e também do sal podem fazer a diferença na dieta do paciente em tratamento com a quimioterapia.

É importante também que o paciente não se sinta obrigada a comer determinado alimento apenas por sua propriedade. Se o gosto não lhe agrada, procure outros, até porque em uma alimentação equilibrada há diversos tipos de alimentos ricos em nutrientes que você poderá provar.

Como lidar com o tratamento da quimioterapia e seus efeitos colaterais?

O que você come é extremamente importante para auxiliar no tratamento com quimioterapia.

Perda do apetite

  • Prefira alimentos leves, saudáveis e de fácil ingestão;
  • Consuma alimentos de sua preferência;
  • Evite comidas com cheiros fortes, pois podem provocar náuseas.

Alterações no paladar e olfato

  • Evite carnes vermelhas, pois podem ficar com um sabor ‘metálico’;
  • Prefira comidas mais frias do que quentes;
  • Tempere os alimentos com ervas e suco de limão.

Dificuldade de engolir

A quimioterapia pode causar problemas de deglutição e aftas, o que pode tornar doloroso engolir os alimentos.

  • Consuma sucos de vegetais frescos (para aumentar ingestão de nutrientes);
  • Consuma alimentos macios como batata cozida, banana e cenoura cozida;
  • Evite alimentos picantes e salgados demais.

Enjoos

  • Faça pequenas refeições ao longo do dia
  • Evite beber muita água próximo às refeições;
  • Mastigue lentamente os alimentos;
  • Evite frituras e comidas muito gordurosas;
  • Evite bebidas gasosas;
  • Beba sucos de fruta gelado ao longo do dia

 

Diarreia

  • Beba bastante líquido;
  • Evite leite e seus derivados;
  • Evite a cafeína;
  • Evite alimentos gordurosos e muito condimentados;
  • Reduza a ingestão de fibras neste período.

Além destas dicas, há algumas medidas que podem ajudar durante o tratamento:

  • Procure consumir alimentos que parecem atrativos;
  • Selecione alimentos com uma variedade de cores, temperaturas e texturas;
  • Beba líquidos com frequência;
  • Use chicletes e balas para remover o gosto ruim da boca;
  • Tente usar utensílios de plástico se tiver um gosto amargo ou metálico na boca ao comer.

Acima de tudo, verifique sempre com seu médico para certificar-se de que estas medidas são as melhores para o seu caso.


02/set/2021

A alimentação saudável não tem a ver com restrições alimentares rigorosas, nem com um emagrecimento irreal ou com a privação dos alimentos que você gosta. Ter uma rotina alimentar saudável está ligado a sentir-se bem, ter mais energia, melhorar sua saúde e o seu humor.

Se você já se sentiu confuso ou perdido por causa de inúmeros conselhos de nutrição e dietas conflitantes, saiba que não está sozinho. Parece que para cada especialista que lhe diz que determinado alimento é saudável, você encontrará outro dizendo exatamente o contrário. Mas, usando algumas dicas simples, você pode acabar com a confusão e aprender a criar – e manter – uma rotina alimentar saborosa, variada e nutritiva que faça bem tanto para seu corpo quanto para sua mente.

O que é uma rotina alimentar saudável?

Aderir à uma rotina alimentar saudável não precisa ser algo excessivamente complicado. Embora alguns alimentos ou nutrientes específicos tenham demonstrado um efeito benéfico sobre o humor, é a sua rotina alimentar geral que é mais importante. A pedra angular de uma rotina alimentar saudável deve ser substituir alimentos processados por alimentos ‘verdadeiros’ sempre que possível. Ingerir alimentos que estão o mais próximo possível da forma como a natureza os criou pode fazer uma enorme diferença em sua mente, nas suas emoções e na sua aparência.

Os principais fundamentos de uma rotina alimentar saudável

Apesar de algumas dietas mais radicais sugerirem o contrário, todos nós precisamos de um equilíbrio de proteínas, gorduras, carboidratos, fibras, vitaminas e minerais em nossa alimentação para manter um corpo saudável. Você não precisa eliminar determinadas categorias de alimentos da sua dieta, mas sim selecionar as opções mais saudáveis de cada categoria.

Proteína: A proteína fornece a energia para que você possa fazer suas atividades, ao mesmo tempo em que controla o humor e a função cognitiva. Muita proteína pode ser prejudicial para pessoas com doença renal, mas pesquisas recentes sugerem que muitos de nós precisamos de mais proteína de alta qualidade, especialmente à medida que envelhecemos. Isso não significa que você tenha que comer mais produtos de origem animal – uma variedade de fontes de proteína à base de vegetais por dia pode garantir que seu corpo receba toda a proteína essencial de que precisa.

A proteína animal traz muitos benefícios para nossa saúde. Por isso, quem opta por uma dieta vegetariana ou vegana, deve procurar a ajuda de um nutricionista para que ele possa indicar os suplementos corretos que complementam as vitaminas e nutrientes necessários para o organismo.

Gordura. Nem toda gordura é igual. Enquanto gorduras ruins podem prejudicar sua saúde e aumentar o risco de certas doenças, gorduras boas protegem seu cérebro e coração. De fato, gorduras saudáveis – como ômega-3 – são vitais para sua saúde física e emocional. Incluir mais gordura saudável em sua dieta pode ajudar a melhorar seu humor, aumentar seu bem-estar e até mesmo afinar sua cintura.

Fibras: Comer alimentos ricos em fibras (grãos, frutas, verduras, nozes e feijões) pode ajudá-lo a se manter regular e diminuir o risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes. Também pode melhorar a sua pele e até ajudá-lo a perder peso.

Cálcio: Além de levar à osteoporose, a falta de cálcio em sua rotina alimentar também pode contribuir para a ansiedade, a depressão e dificuldades para dormir. Seja qual for a sua idade ou sexo, é vital incluir alimentos ricos em cálcio na sua alimentação, além de obter magnésio e vitaminas D e K suficientes para ajudar o cálcio a fazer o seu trabalho.

Carboidratos: Os carboidratos são uma das principais fontes de energia do seu corpo. Mas a maioria deve vir de carboidratos complexos (vegetais, grãos integrais, frutas), em vez de açúcares e carboidratos refinados. Cortar o pão branco, os doces, o amido e o açúcar pode prevenir picos rápidos de glicemia no sangue, flutuações de humor e energia e um acúmulo de gordura, especialmente em torno do abdômen.

Como adotar uma rotina alimentar saudável?

Mudar para uma rotina alimentar saudável não precisa ser uma decisão de tudo ou nada. Você não precisa ser perfeito, você não precisa eliminar completamente os alimentos de que gosta e não precisa mudar tudo de uma só vez – isso geralmente só te leva a trapacear ou desistir do seu novo hábito alimentar.

Uma abordagem mais sensata é fazer pequenas mudanças de cada vez. Mantendo seus objetivos modestos pode ajudá-lo a conseguir melhores resultados a longo prazo, sem se privar ou sobrecarregar devido a uma mudança drástica na alimentação. Planeje uma dieta saudável como uma série de pequenos passos – como adicionar uma salada à sua refeição uma vez por dia. À medida que suas pequenas mudanças se tornam hábitos, você pode continuar adicionando mais opções saudáveis.

Por onde começar?

Para se preparar para o sucesso, tente manter as coisas simples. Adotar uma rotina alimentar mais saudável não precisa ser complicado. Em vez de se preocupar excessivamente com a contagem de calorias, por exemplo, pense em sua dieta em termos de cor, variedade e frescor. Concentre-se em evitar alimentos embalados e processados e optar por ingredientes mais frescos sempre que possível.

Prepare suas próprias refeições. Preparar suas refeições em casa pode lhe ajudar na qualidade dos alimentos e a monitorar melhor os ingredientes. Você comerá menos calorias e evitará os aditivos químicos, o açúcar e as gorduras insalubres de alimentos embalados e prontos para viagem que podem causar cansaço, inchaço e irritabilidade e exacerbar os sintomas de depressão, estresse e ansiedade.

Faça as mudanças certas. Ao reduzir os alimentos não saudáveis em sua alimentação, é importante substituí-los por alternativas saudáveis. Substituir gorduras trans perigosas por gorduras saudáveis (como trocar frango frito por salmão grelhado) causará uma mudança positiva na sua saúde. No entanto, trocar as gorduras animais por carboidratos refinados (como trocar o bacon por um doce), não diminui o risco de doenças cardíacas e nem melhora o seu humor.

Leia os rótulos. É importante estar ciente da composição dos seus alimentos, pois os fabricantes costumam esconder grandes quantidades de açúcar ou gorduras insalubres em alimentos embalados, até mesmo alimentos que alegam ser saudáveis.

Veja como você se sente depois de comer. Isso ajudará a promover novos hábitos e atitudes saudáveis. Quanto mais saudável a comida que você come, melhor você se sentirá depois de uma refeição. Quanto mais ‘junk food’ você comer, maior a probabilidade de sentir-se desconfortável, enjoado ou esgotado.

Beba muita água. A água ajuda a drenar de nosso organismo resíduos e toxinas, mas muitos de nós passam pela vida desidratados – causando cansaço, pouca energia e dores de cabeça. É comum confundir sede com fome, por isso, manter-se bem hidratado também ajudará você a fazer escolhas alimentares mais saudáveis.

Planejamento e moderação são a chave para uma boa rotina alimentar

O que é moderação? Em essência, significa comer apenas o máximo de comida que seu corpo precisa. Você deve se sentir satisfeito no final de uma refeição, mas não estufado. Para muitos de nós, moderação significa comer menos do que comemos atualmente. Mas isso não significa eliminar os alimentos que você ama.

Jantar pizza uma vez por semana, por exemplo, pode ser considerado moderação se você tiver um café da manhã e almoço saudáveis – mas não se você já começar o dia comendo doces e almoçar um hambúrguer.

A alimentação saudável começa com um grande planejamento. Você terá vencido metade da batalha da rotina alimentar saudável se tiver uma cozinha bem abastecida, um estoque de receitas rápidas e fáceis e muitos lanches saudáveis.

O resultado dessa sua nova rotina alimentar será mais disposição, um melhor humor e maior capacidade de concentração nas suas tarefas. Ao optar pela alimentação saudável, você só tem a ganhar.


Fotolia_211705034_Subscription_Monthly_M-1-1200x800.jpg
25/ago/2021

A sociedade está vivendo um momento difícil. Uma pandemia que afeta não somente a saúde, mas afeta a vida como um todo. Afeta a parte financeira e principalmente a parte mental.

Um dos maiores problemas dessa “nova realidade” é o estresse. Esse grande mal, que causa danos imensos à saúde, pode ser desencadeado por diversos fatores, como trabalho, trânsito, família, dinheiro, morte de pessoas queridas e as cobranças que a sociedade e nós mesmos nos fazemos.

Muitas pessoas não ligam para as dicas que nosso corpo nos dá sobre o estresse, mas que com pequenas mudanças de hábito poderiam ser evitadas. Sinais como alterações no sono, problemas de concentração, ansiedade, mudanças de humor e perda de interesse por algumas atividades são comuns em pessoas com alto grau de estresse.

Para aliviar esse problema e evitar consequências graves à saúde, separamos algumas dicas para você!

  • Dormir pelo menos oito horas por dia é essencial para seu corpo.
  • Comer alimentos saudáveis evitam o estresse, além de prevenir contra várias doenças. Evite alimentos com muita cafeína
  • Praticar exercícios físicos melhoram a sensação de bem-estar e o condicionamento físico, bem como evitam problemas cardíacos, diabetes e várias outras doenças
  • Não se cobre demais! Lembre-se de que você é uma pessoa como qualquer outra e cometerá erros. O excesso de preocupação pode desencadear estresse

  Reserve um tempo para você. Fazer as coisas que gostamos melhora nosso humor e ajuda-nos a enfrentar o dia a dia

  • Não  subestime os sinais do seu corpo! Quando se sentir mal e perceber que está extremamente cansado ou triste, procure ajuda de um profissional.

1C3BBEE3-7B1E-430B-A7A3-CF19FE4C04AC.jpeg
18/ago/2021

Há muito tempo sabemos que a prática da natação traz inúmeros benefícios para saúde. Mas agora pesquisas sugerem que o esporte pode fornecer um impulso único para a saúde do cérebro.

Foi demonstrado que a prática regular de natação melhora a memória, a função cognitiva, a resposta imunológica e o humor. A natação também pode ajudar a reparar danos causados pelo estresse e construir novas conexões neurais no cérebro.

O exercício aeróbico também promove a liberação de mensageiros químicos específicos chamados neurotransmissores. Um deles é a serotonina, que – quando presente em níveis elevados – é conhecida por reduzir a depressão e a ansiedade, além de melhorar o humor.

Os pesquisadores ainda não sabem o que pode ser o ingrediente secreto da natação. Mas eles estão cada vez mais perto de entender isso.

A natação é reconhecida por seus benefícios cardiovasculares. Como a natação envolve todos os principais grupos musculares, o coração precisa trabalhar muito, o que aumenta o fluxo sanguíneo por todo o corpo. Isso leva à criação de novos vasos sanguíneos, um processo denominado angiogênese. O maior fluxo sanguíneo também pode levar a uma grande liberação de endorfina – hormônios que atuam como redutores naturais da dor em todo o corpo. Essa onda traz a sensação de euforia que geralmente vem depois do exercício.

Por exemplo, em um estudo que examinou o impacto da natação na acuidade mental em idosos, os pesquisadores concluíram que os nadadores melhoraram a velocidade mental e a atenção em comparação com os não nadadores. No entanto, este estudo é limitado em seu desenho de pesquisa, uma vez que os participantes não foram randomizados e, portanto, aqueles que eram nadadores antes do estudo podem ter tido uma vantagem injusta.

Outro estudo comparou a cognição entre atletas de atividades fora da água e nadadores na faixa de idade adulta jovem. Embora a imersão em água em si não tenha feito diferença, os pesquisadores descobriram que 20 minutos de natação de nado de peito de intensidade moderada .melhorou a função cognitiva em ambos os grupos

Os benefícios da natação que fortalecem o cérebro também parecem impulsionar o aprendizado das crianças.

Outro grupo de pesquisa recentemente examinou a ligação entre a atividade física e como as crianças aprendem novas palavras do vocabulário. Os pesquisadores ensinaram às crianças de 6 a 12 anos os nomes de objetos desconhecidos. Em seguida, eles testaram sua precisão no reconhecimento dessas palavras após fazer três atividades: colorir (atividade de repouso), natação (atividade aeróbica) e um exercício semelhante ao CrossFit (atividade anaeróbica) por três minutos.

Eles descobriram que o nível de precisão das crianças era muito maior para palavras aprendidas após a natação em comparação com as outras atividades (colorir e CrossFit), que resultaram no mesmo nível de memória. Isso mostra um claro benefício cognitivo da natação em comparação a exercícios anaeróbicos, embora o estudo não compare a natação com outros exercícios aeróbicos. Essas descobertas indicam que nadar por curtos períodos de tempo é altamente benéfico para cérebros jovens em desenvolvimento.


F37EA083-98F5-4D24-8E90-9527EF9B03B3.jpeg
11/ago/2021

Tecnologia e ciência continuam caminhando juntas. Agora é possível “tirar fotos do intestino” através de uma cápsula endoscópica.

Com a cápsula, a investigação de doenças intestinais ganha uma nova aliada.

A cápsula possui câmeras embutidas e é  capaz de tirar milhares de fotos de dentro do intestino delgado.

A pílula é precisa diagnóstico e  permite que o tratamento comece mais rápido, aumentando as chances de cura e recuperação do paciente.

Pelos métodos tradicionais existentes hoje no mercado, quando acontece um sangramento nessa região, o diagnóstico pode demorar até dois anos para identificar o local exato da lesão.

A utilização da cápsula digestiva complementa os exames de colonoscopia e endoscopia, procedimentos mais invasivos.

A instalação do sistema e a ingestão da cápsula é um procedimento simples e não necessita de sedação.

O comprimido possui o tamanho de uma cápsula comum de vitaminas, mas vem equipada com câmeras de vídeo e quatro pequenos LEDs que atuam como luzes auxiliares para iluminar as gravações. Durante as oito horas em que permanece no intestino o instrumento gera aproximadamente 21 mil imagens por hora.

O vídeo tem resolução de 320×320 pixels e é capaz de indicar lesões que podem estar relacionadas à sangramento obscuro, anemia ferropriva ou doença de Crohn.

A cápsula digestiva promete revolucionar o diagnóstico de doenças intestinais. O conforto e a segurança são vantagens da utilização da cápsula. Os exames podem ser realizados nos consultórios e até mesmo na casa do paciente.


9EDFB651-AF13-4754-B118-AA4455D42D83.jpeg
04/ago/2021

Simone Biles chegou a Tóquio-2020 como a maior estrela. Afinal, a americana de 24 anos tem um currículo impressionante, com cinco medalhas olímpicas e 25 pódios em Mundiais, um recorde da modalidade.

No Japão, porém, Simone se tornou ainda mais poderosa. Não por enfileirar mais medalhas, mas por desistir delas para priorizar sua saúde mental.

“Tenho que me concentrar na minha saúde mental”, disse Simone, após anunciar que não competiria na final por equipes.

Uma pergunta importante a ser respondida pela sociedade é por que tantas pessoas estão jogando luz na questão da saúde mental e assumindo seus sofrimentos como ansiedade, depressão, síndrome do pânico, transtorno obsessivo compulsivo, entre outros?

A saúde mental é importantíssima, além de ser determinante para a estabilidade física, está relacionada à qualidade da interação individual e coletiva. No cenário atual, buscar alternativas que possibilitem a harmonia nessas relações é uma urgente necessidade.

Assim como a física, a saúde mental é uma parte integrante e complementar à manutenção das funções orgânicas. Nesse contexto, a promoção da saúde mental é essencial para que o indivíduo tenha a capacidade necessária de executar suas habilidades pessoais e profissionais.

A GEMA BRAZIL disponibiliza hoje o “PLANTÃO PSICOLÓGICO”. Uma orientação on-line com um profissional da psicologia que pode te auxiliar a superar momentos complicados.

Saiba mais através do nosso site.


28/jul/2021

A rouquidão pode acometer 3 em cada 10 adultos ao longo da vida, e até mesmo aparecer em crianças. Nos últimos anos tem-se observado o aumento significativo de casos entre professores, idosos e indivíduos que fazem uso mais intenso da voz. Seja ela temporária ou permanente, a rouquidão pode dificultar a comunicação e reduzir a qualidade de vida.

As causas para isso variam desde uma simples inflamação da laringe até o câncer, e algumas delas são mais frequentes entre as mulheres, como os nódulos vocais. Os especialistas garantem que muitos quadros de disfonia( esse é o termo técnico que os médicos utilizam para se referir às alterações da voz) podem ser prevenidos e tratados com medidas simples como o uso cuidadoso e repouso da voz, boa hidratação e medicamentos.

Já nas situações mais graves, a estratégia terapêutica inclui terapia vocal e até cirurgia. Apesar disso, o conselho médico é não ignorar o sintoma. Isso porque ele pode ser o primeiro e único sinal do tumor de laringe, e o diagnóstico precoce aumenta a chance de cura.

A rouquidão pode acometer igualmente todas as pessoas, inclusive crianças, e algumas de suas causas são mais frequentes entre as mulheres por motivos anatômicos, como os nódulos (as pregas vocais femininas são menores).

Nos últimos anos, porém, o sintoma tem sido cada vez mais comum entre professores, idosos e indivíduos que fazem uso mais intenso da voz.

Muitos episódios de rouquidão passam sozinhos sem causar prejuízo algum. Mas os especialistas advertem que toda alteração da voz deve ser avaliada por um médico, especialmente quando ela dura por 14 dias ou mais, e tal mudança não esteja associada a gripe ou resfriado.

Os médicos alertam que observar esse sintoma e ignorá-lo é preocupante porque o câncer de laringe, na sua fase inicial, pode ter como único sintoma essa alteração vocal.

Mantenha-se hidratado com bebidas frescas ou em temperatura ambiente, evite o tabaco (inclusive o fumo passivo), use microfones ou megafones para não forçar a voz, caso tenha de falar em público e mantenha uma boa rotina de sono.


21/jul/2021

Um novo composto pode acelerar em até seis vezes a regressão do câncer de mama. Ao menos é o que garante um estudo recentemente publicado na Science Signaling, revista científica distribuída pela Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS). O estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e da Universidade de São Paulo.

.O tratamento tem início antes da utilização da Quimioterapia. O objetivo é enfraquecer as células tumorais.

Foram levantados 192 compostos, que estavam em uma biblioteca do laboratório de Harvard. Os compostos foram testados para verificar qual deles atingiria a célula especificamente do triplo-negativo(Triplo-negativo é como se chama o tipo mais severo de câncer de mama).

Já era sabido que agiriam no metabolismo das células.

De acordo com os pesquisadores, ao deixar o tratamento contra o tumor mais eficiente, reduz-se o tempo que o paciente estará sujeito aos efeitos colaterais dos medicamentos tóxicos utilizados na quimioterapia.

Os testes duraram 21 dias e os resultados foram muito positivos.

Com a quimioterapia houve regressão de 10% do tumor.

No tratamento combinado, o tumor diminuiu 60%. Ou seja, a terapia foi 500% mais eficaz e bem menos agressiva.

O câncer de mama é um tipo de câncer que cresce mais rápido, tendo opções de tratamento limitado. No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o país deve ter cerca de 66 mil novos casos de câncer de mama por ano entre 2020 e 2022.


20/jul/2021

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país que apresenta maior prevalência de depressão na América Latina. É também o país mais ansioso do mundo. E, para profissionais da psiquiatria, a solidão é reconhecida como um gatilho – um impulsor – de transtornos de humor. 

Frente a um cenário de pandemia, a comunidade médica se preocupa que uma epidemia paralela afete a saúde mental da população brasileira. O aumento do sofrimento psicológico, dos sintomas psíquicos e dos transtornos mentais já dão indícios nesse período que foi marcado como o primeiro pico dos casos. 

Para suprir uma demanda alta e ajudar os brasileiros na compreensão desse momento tão intenso, diversos profissionais de psicologia estão realizando orientações e atendimentos  virtuais.

Além dos cuidados profissionais, existem pequenas ações no cotidiano que podem ajudar no processo de lidar com a pandemia e com o distanciamento social. Confira algumas dicas para iniciar uma rotina mais leve e de autocuidado:

  • Lembre-se que você não está sozinho. Todos estão na mesma situação. E, apesar disso, cada um encontra uma melhor forma de lidar com este momento. Não se compare com outras pessoas e tente encontrar o que mais funciona para você.
  • Este é um momento intenso e fora do comum. É completamente normal se sentir triste, assustado e/ou menos produtivo que o habitual. Uma pandemia e o distanciamento social geram diversas emoções que são difíceis de lidar. Novos sentimentos são esperados. Não se cobre para estar bem 100% do tempo.
  • Observe suas demandas internas. Abafar e ignorar sentimentos não é saudável. Tente colocar tudo o que está acontecendo no mundo em perspectiva e relacione ao que você está sentindo – estão interligados? Se colocar como parte do todo vai trazer autoconhecimento e facilitará encontrar o equilíbrio da situação.
  • Limite o tempo ligado nas notícias.  É importante estar informado, mas são muitos processos acontecendo ao mesmo tempo – e todos eles bastante intensos. Mudanças na rotina de trabalho, no relacionamento com amigos e família, dilemas políticos e financeiros em todo o mundo. Estipule quanto tempo do seu dia você pode se dedicar ao consumo de notícias e, se necessário, reduza. Não se esqueça de buscar fontes oficiais para evitar notícias falsas.

 

Ainda é preciso se manter o máximo possível dentro de casa, evitando aglomerações e tomando os devidos cuidados de higiene e distanciamento social. Durante a continuação da quarentena, comece a cuidar da sua saúde mental a partir de algumas práticas:

  • Descanse. O sono regular interfere diretamente no equilíbrio emocional. Portanto, tente dormir 8 horas por dia. Busque atividades que auxiliem no sono profundo e de qualidade.
  • Alimente-se bem. Ter atenção ao que se come e priorizar uma dieta balanceada permite a ingestão de todos os nutrientes necessários ao organismo. Isso ajuda no bom funcionamento dos processos químicos do cérebro. Cuidar do corpo também é cuidar da mente.
  • Evite drogas como escape do estresse. Álcool e tabaco se tornam vícios e, a longo prazo, causam muito malefícios à saúde física e mental.
  • Fortaleça seus contatos, ainda que à distância. Uma conversa com amigos ou com a família por mensagens, ligações telefônicas ou videochamadas pode aliviar sensações ruins. Também faz relembrar que existe uma rede de apoio com a qual você pode contar.
  • Tire um tempo para você. Não preencha seus dias apenas com atividades obrigatórias – libere um espaço na sua agenda para ler um livro, assistir a um filme, aprender uma habilidade nova, fazer exercícios físicos, ouvir uma música, cozinhar com tranquilidade. A escolha é sua: por você e para você.

Esses são apenas alguns dos principais aspectos que fazem a diferença para uma rotina saudável, que priorize o bem-estar e a saúde mental durante a pandemia. Leve em consideração aquilo que faz sentido de acordo com o seu estilo de vida e preferências – e coloque em prática o que funciona para você. 


3B129DDA-A740-48CD-AFD3-C353FBD52981.jpeg
05/jul/2021

Durante o período após o parto, que dura cerca de 40 dias, é muito comum que as mulheres fiquem ansiosas para que o corpo volte a ser o que era antes da gravidez.

Mas algumas ficam bastante ansiosas com a questão do peso, ou melhor, o excesso dele, no pós-parto. Na tentativa de resolver isso, tentam comer menos ou restringir o consumo de alimentos para acelerar a perda desses quilos a mais. O problema é que isso não é recomendado e pode trazer consequências negativas para a saúde tanto dela como do bebê.

Até o sexto mês de vida do bebê, o recomendado é que ele seja alimentado apenas com leite materno. E um dos fatores que influencia diretamente na capacidade da mulher de produzir ou não esse leite é justamente a ingestão de nutrientes. Isso porque a mulher gasta, em média, 500 a 700 calorias por dia com a amamentação. Se ela restringir demais sua alimentação, o corpo não vai ter combustível para continuar produzindo o alimento e, em casos extremos, pode encerrar a produção para não comprometer outras funções. Outro problema de seguir dietas restritivas nesse período é que a mãe pode apresentar uma falta de nutrientes importantes para a própria saúde, criando problemas para si mesma.

As proteínas, por exemplo, são parte do leite materno, por isso, se não forem consumidas em quantidade suficiente, podem provocar uma perda de massa magra no organismo da mãe. A deficiência de ferro e a falta de vitaminas também são problemas que podem ocorrer caso a alimentação se mantenha restrita. Por isso, é importante que a mulher busque ter uma alimentação variada, com um bom aporte de todos os nutrientes (incluindo gorduras e carboidratos, erroneamente considerados “vilões” pelas dietas restritivas) para conseguir ter energia suficiente para alimentar o bebê

Os especialistas orientam que a mulher deve manter uma dieta saudável, priorizando alimentos frescos e comida caseira, evitando os ultraprocessados e o excesso de gorduras e sódio.