VEJA NOSSAS NOVIDADES



AdobeStock_206124704-e1559049996631-1200x800.jpeg
28/Maio/2019

Veja como você pode arruinar seu corpo de forma surpreendente ao adotar um estilo de vida sedentário – e aprenda como mudar isso.

Nos dias atuais não há quem não reclame que a vida está corrida. E pela falta de tempo, cada vez mais pessoas esquecem de priorizar a saúde.

O trabalho – e toda a rotina que advém dele – acaba tomando conta da agenda diária das pessoas e o corpo, que foi feito para estar em constante movimento, vai perdendo sua mobilidade e ficando cada vez mais parado.

E como consequência dessas escolhas, muitos deixam de lado a prática de atividades físicas, fazendo com o que o número do sedentarismo cresça assustadoramente.

A maioria dos profissionais de saúde recomendam que devemos andar 10 mil passos por dia. Este seria o número ideal para melhorar a saúde e reduzir os riscos causados ​​pela inatividade.

Uma das piores coisas que você pode fazer com o seu corpo é não fazer nada: passar o dia sentado pode ser tão perigoso quanto ser obeso, de acordo com um estudo da Universidade de Cambridge.

Quais os perigos do sedentarismo para a saúde?

Mundialmente, um em cada quatro adultos não está se movimentando o suficiente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. E mesmo se você acha que é uma pessoa ativa, pode estar passando tempo demais na frente da TV quando não está na academia, o que também coloca sua saúde em risco.

Uma das mais graves consequências do sedentarismo é sem dúvida a obesidade. O número de pessoas obesas cresce cada dia, sejam adultas ou crianças, a obesidade é sem dúvida um mal do nosso tempo.

A obesidade não é a única consequência do sedentarismo, existem outras prejudiciais para a saúde como o aumento do risco de câncer; diabetes tipo 2; desenvolvimento de doenças cardiovasculares; pressão alta e níveis elevados de colesterol.

Além disso, os efeitos do sedentarismo vão muito além do que você pensa. Claro, seu comportamento sedentário pode prejudicar seu coração e aumentar o peso, mas também pode ser responsável por alguns efeitos mais surpreendentes.

Sintomas e consequências do sedentarismo

Sedentarismo contribui para ansiedade e depressão: Nota-se que além do impacto físico, o sedentarismo traz também um impacto negativo no bem-estar mental da pessoa. Segundo alguns estudos, quem tem um estilo de vida sedentário tem maiores problemas com sua saúde emocional mental.

Anda sentindo-se deprimido? É culpa da sua cadeira! Depois de pesquisar mais de 3.300 funcionários do governo, pesquisadores australianos descobriram que homens que permaneciam mais de 6 horas por dia no trabalho tinham 90% mais chances de sentir distúrbios psicológicos moderados – como se sentir nervosos, inquietos, desesperados ou até cansados – do que homens que se sentaram por menos de 3 horas por dia.

Sedentarismo aumenta o risco de câncer: Uma análise alemã de 43 estudos diferentes, incluindo mais de 4 milhões de pessoas, descobriu que o comportamento sedentário aumenta significativamente o risco de vários tipos de câncer.

As pessoas que registraram o maior tempo sentadas experimentaram um risco 24 por cento maior de desenvolver câncer de cólon, um risco 32 por cento maior de câncer de endométrio e um risco 21 por cento maior de câncer de pulmão.

Além disso, os riscos dobram em pessoas que geralmente gastam seu tempo sentados na frente da TV, possivelmente porque você tende a comer bebidas açucaradas e junk foods, dizem os pesquisadores.

Sedentarismo prejudica sua memória: Sua saúde cerebral sofre quando você fica sentado por muito tempo: adultos mais velhos que são sedentários podem ter a mesma probabilidade de desenvolver demência do que pessoas geneticamente predispostas à condição, descobriu uma nova pesquisa publicada no Journal of Alzheimer’s Disease.

Em um estudo com mais de 1.600 adultos com 65 anos ou mais, os pesquisadores descobriram que pessoas com um gene fortemente associado à demência tinham quase duas vezes mais chances de desenvolvê-lo do que pessoas sem o gene. Mas quando olhavam para pessoas que não se exercitavam regularmente, descobriram que suas chances de desenvolver demência eram semelhantes.

Sedentarismo causa picos de açúcar no sangue: Mesmo se você estiver com um peso saudável, seus níveis de açúcar no sangue podem aumentar se você ficar parado em uma cadeira por muito tempo. Na verdade, os adultos sedentários têm maior probabilidade de ter níveis de açúcar no sangue de 5,7% ou mais, que é alto o suficiente para ser considerado pré-diabético.

Sedentarismo prejudica sua vida sexual: Seu comportamento sedentário pode levar a uma problemas sexuais. Homens com uma barriga maior – ou uma cintura de 100 cm ou mais – têm probabilidade duas vezes maior de ter disfunção erétil (DE) do que aqueles com cinturas abaixo de 80 cm, segundo um estudo de Harvard.

Sedentarismo reduz a qualidade do sono: Você já sentiu que dormiu mais profundamente depois de fazer um ótimo treino? Isso porque o exercício de pelo menos 150 minutos por semana pode melhorar a qualidade do seu sono. Quando as pessoas praticam atividade física, o risco de sonolência diurna cai em comparação com as pessoas que não se exercitam.

Sedentarismo causa dores na coluna:  Os efeitos de curvar-se na frente do computador podem durar além do seu dia de trabalho. Sentar-se por apenas 4 horas seguidas pode aumentar a pressão sobre os discos da região lombar. Essa compressão pode levar à degeneração do disco, um culpado comum por trás da famosa dor nas costas.

<h2>Como resolver os problemas causados pelo sedentarismo?

A solução para evitar os males do sedentarismo é bem simples: movimente-se!

O aumento da atividade física pode trazer fim para os problemas causados pelo sedentarismo.

Desta forma, inclua em sua rotina diária exercícios físicos regulares. Se a sua vida é bem corrida, organize-se, planeja-se e você verá que sempre tempo para cuidar da sua.

O que falta muitas vezes é um planejamento e, também, definições de prioridade. Em nosso dia-a-dia priorizamos reuniões, trabalho e esquecemos que para tudo isso funcionar é necessário ter saúde.

Por isso é fundamental que o sedentarismo saia da sua vida o mais rápido possível.

Algumas mudanças no cotidiano podem trazer benefícios rápidos para nossa saúde:

  • Vá caminhando ou de bicicleta para o trabalho;
  • Na hora do almoço faço passeios a pé por onde trabalha;
  • Lembre-se de se levantar a cada 30 minutos no trabalho;
  • Aproveite o tempo livre para se movimentar e não só assistir televisão;
  • Troque o elevador por escada.

Veja alguns dos benefícios do exercício físico para a saúde:

  • Controle do peso;
  • Melhora do perfil do lipidograma;
  • Melhora do humor;
  • Aumento da produção de energia;
  • Sono equilibrado;
  • Melhora do apetite sexual.

O corpo fica “feliz” com a prática de atividades físicas, tanto que mesmo cansado depois de atividade física, a sensação é de renovação e bem-estar.

É mais fácil do que você pensa de acabar com o sedentarismo, basta ter vontade, se planejar e criar novos hábitos saudáveis. Aumentando a quantidade de atividade física os riscos de uma vida sedentária acabam.


gema-cooporate-silver.png
22/Maio/2018

Sabia que uma sessão de exercícios de 30 minutos pode fornecer proteção imediata e duradoura para seu coração?

Por que a atividade física faz tão bem para o coração? Existem muitas respostas para essa pergunta. A primeira, obviamente, é que o exercício queima calorias, o que ajuda a manter ou alcançar um peso ideal e saudável. Atividades físicas regulares também melhoram fatores ligados à saúde cardiovascular, resultando em uma menor pressão sanguínea, baixos níveis de colesterol e melhor controle do açúcar no sangue.

E isso não é tudo. O exercício também promove mudanças fisiológicas positivas, como estimular as artérias do coração a se dilatarem melhor. Isso também ajuda o sistema nervoso simpático (que controla a frequência cardíaca e a pressão arterial) a ser menos reativo. Mas essas mudanças podem levar semanas, meses ou até anos para atingirem seu efeito total.

No entanto, de acordo com a publicação médica JAMA Cardiology (edição de 29 de novembro de 2017), até mesmo uma única série de exercícios pode proteger seu coração imediatamente por meio de um processo conhecido como pré-condicionamento isquêmico. Descobriu-se que um pouco de isquemia – definida como um suprimento inadequado de sangue para parte do corpo, especialmente para o coração – pode ser uma coisa boa.

Seguindo o fluxo sanguíneo

“A ideia é que quando você tem um bloqueio coronariano e se exercita, a área do coração além do bloqueio está ‘faminta’ pelo fornecimento de sangue – mais do que quando você está em repouso”, diz a cardiologista Dra. Meagan Wasfy do Cardiovascular Performance Program no Hospital Geral de Massachusetts, afiliado à Harvard. “Isso estabelece uma série de vias moleculares e metabólicas que ajudam o coração a se adaptar a esse fluxo sanguíneo inadequado”, explica a doutora.

O pré-condicionamento isquêmico (ou exercício) é semelhante a algo que a Dra. Wasfy e seus colegas observam na rotina de pacientes com doenças cardíacas que se exercitam. Eles começam correndo, mas se sentem cansados ou têm angina rapidamente, então andam por alguns minutos. Mas uma vez que eles começam a correr novamente, parece muito mais fácil na segunda tentativa. Conhecido como “angina de aquecimento”, esse fenômeno foi descrito pela primeira vez há cerca de 200 anos.

O exato mecanismo biológico do pré-condicionamento isquêmico ainda permanece um mistério. Uma teoria aponta para um fator encontrado no sangue envolvido na ativação do receptor opióide. Mais importante, os benefícios podem se estender além de facilitar o exercício. Estudos em animais sugerem que o pré-condicionamento isquêmico parece proteger o coração caso um ataque cardíaco ocorra mais tarde, reduzindo o dano em até 50%.

Exercícios são uma apólice de seguro para seu coração

As pessoas com risco de doença cardíaca muitas vezes lutam com a incerteza de saber se suas artérias contêm placas de gordura que podem causar um ataque cardíaco. A menos que apresentem alguns sintomas específicos, é difícil justificar testes potencialmente invasivos ou caros.

O que pode ser reconfortante, no entanto, é pensar no exercício como uma apólice de seguro que pode oferecer proteção de curto e longo prazo para o seu coração. Uma única sessão de exercícios pode proteger o sistema cardiovascular por duas a três horas. Em essência, você está treinando seu coração para ser mais resiliente.

Mas essa proteção está condicionada a uma certa intensidade de exercício. Simplesmente andar o dia todo pode não funcionar. Para que seu coração trabalhe com afinco o suficiente para ativar as vias metabólicas moleculares responsáveis pela pré-condição do coração, você precisa se exercitar de forma moderada a vigorosa.

Quanto à duração dos exercícios, 30 minutos por dia é o ponto ideal para proteção de saúde quase máxima e resultam em benefícios como:

  • Prevenção de doenças cardíacas;
  • Redução do risco de alta pressão sanguínea, diabetes e derrame;
  • Ajuda a eliminar o hábito de fumar;
  • Auxilia na reabilitação cardíaca;
  • Estabelece boa saúde do coração em crianças;
  • Aumenta e fortalece a imunidade;
  • Reduz a pressão sanguínea em pessoas com pressão alta;
  • Ajuda a reduzir o stress, tensão, depressão e ansiedade;
  • Ajuda a controlar o peso;
  • Melhora a saúde geral e bem-estar, prolongando a saúde do coração.

Mas o ideal é dividir esses 30 minutos em três sessões de 10 minutos, recomenda a Dra. Wasfy. É importante também ressaltar, entretanto, que se você não estiver acostumado a fazer qualquer exercício, obtenha autorização e recomendação do seu médico antes de começar.