VEJA NOSSAS NOVIDADES



Fotolia_211705034_Subscription_Monthly_M-1-1200x800.jpg
24/fev/2022

Aquele gostoso cochilo após o almoço pode fazer muito mal ao seu sistema cardiovascular. Ao menos é o que aponta a Sociedade Europeia de Cardiologia.

A entidade, que reúne profissionais de 150 países, alertou que as sonecas com mais de uma hora de duração aumentam as doenças cardiovasculares e podem levar à morte precoce.

 

O estudo foi apresentado no congresso realizado no último dia 01 de setembro. Foram analisados 20 estudos com 313 mil participantes, nos quais 40% tinham o hábito de cochilar após o almoço.  O objetivo do estudo era estabelecer evidências entre o hábito e doenças cardiovasculares e morte precoce.

A conclusão foi que sonecas com duração superior a 60 minutos estavam associadas a um aumento de 30% no risco de morte precoce e 34% em doenças cardiovasculares em relação aos que não dormiam. Já os cochilos mais leves, com duração menor que uma hora, não tinham conexão com doenças cardiovasculares e nem com morte precoce.

 

Segundo o médico Zhe Pan, da Universidade de Guangzhou – China, “é senso comum que tirar uma soneca após o almoço melhora o desempenho para o restante do dia e neutraliza os efeitos das poucas horas de sono dormidas durante a noite. Mas a longo prazo essa soneca pode trazer prejuízos. Nosso estudo mostrou isso”.

 

 

De um modo geral, sonecas de qualquer duração estavam ligadas ao aumento de 19% nas chances de morte precoce, com um achado mais relevante entre as mulheres: neste caso, o percentual subia para 22%. Já os cochilos breves, de menos de uma hora, não tinham conexão com o surgimento de doença cardiovascular. Ainda de acordo com o doutor Pan, poderiam inclusive beneficiar quem dorme mal à noite. Embora as causas das consequências negativas para o corpo ainda não tenham sido esclarecidas, há estudos que sugerem sua relação com altos níveis de inflamação no organismo – um perigo para a saúde do coração e para a longevidade.


Fotolia_79972307_Subscription_Monthly_M-1-1200x719.jpg
16/fev/2022

Um estudo da UNICEF alertou que crianças e adolescentes  poderão sentir o impacto da covid-19 em sua saúde mental e bem-estar por muitos anos.

Segundo as últimas estimativas disponíveis, calcula-se que, globalmente, mais de um em cada sete meninos e meninas com idade entre 10 e 19 anos viva com algum transtorno mental diagnosticado. Quase 46 mil adolescentes morrem por suicídio a cada ano, uma das cinco principais causas de morte nessa faixa etária. Enquanto isso, persistem grandes lacunas entre as necessidades de saúde mental e o financiamento de políticas voltadas a essa área. O relatório constata que apenas cerca de 2% dos orçamentos governamentais de saúde são alocados para gastos com saúde mental em todo o mundo.

Foram longos anos  para todos nós, especialmente para as crianças e adolescentes. Com lockdowns nacionais e restrições de movimento relacionados à pandemia, as meninas e os meninos passaram anos indeléveis de sua vida longe da família, de amigos, das salas de aula, das brincadeiras – elementos-chave da infância. O impacto é significativo e é apenas a ponta do iceberg. Mesmo antes da pandemia, muitas crianças estavam sobrecarregadas com o peso de problemas de saúde mental não resolvidos.


De acordo com resultados preliminares de uma pesquisa internacional com crianças e adultos em 21 países conduzida pelo UNICEF e o Gallup, em média, um em cada cinco adolescentes e jovens de 15 a 24 anos entrevistados (19%) disse que, muitas vezes, se sente deprimido ou tem pouco interesse em fazer coisas.

Segundo os últimos dados disponíveis do UNICEF, globalmente, pelo menos uma em cada sete crianças foi diretamente afetada por lockdowns, enquanto mais de 1,6 bilhão de crianças sofreram alguma perda relacionada à educação. A ruptura com as rotinas, a educação, a recreação e a preocupação com a renda familiar e com a saúde estão deixando muitos jovens com medo, irritados e preocupados com seu futuro.


Transtornos mentais diagnosticados – incluindo transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), ansiedade, autismo, transtorno bipolar, transtorno de conduta, depressão, transtornos alimentares, deficiência intelectual e esquizofrenia – podem prejudicar significativamente a saúde, a educação, as conquistas e a capacidade financeira de crianças, adolescentes e jovens no futuro.

Embora o impacto na vida deles seja incalculável, uma nova análise da London School of Economics, estima que transtornos mentais que levam jovens à incapacidade ou à morte acarretam uma redução de contribuições para as economias.


9EDFB651-AF13-4754-B118-AA4455D42D83.jpeg
08/fev/2022

Em Londres, um grupo de cientistas disse que estão atendendo um caso por semana de pacientes com lesões no sistema nervoso. Antes da pandemia, essa frequência era de uma vez por mês.

As principais complicações neurológicas são: inflamações, psicoses e delírio.

Um estudo feito com pesquisadores da University College London (UCL), do  Reino Unido observou 43 casos de pacientes com Covid-19 que sofriam disfunções cerebrais temporárias, derrames, danos nos nervos ou outros problemas sérios no cérebro. Os danos da Covid-19 costumam afetar os pulmões e outras partes do sistema respiratório, mas neurocientistas dizem estar preocupados com consequências do coronavírus no sistema nervoso.

As sequelas neurológicas provocadas pela ação do COVID-19 preocupam os cientistas, já que boa parte da população mundial será afetada por essa pandemia e o desdobramento pós coronavírus pode afetar a população economicamente ativa de uma forma considerável.

“Se em um ano tivermos 10 milhões de pessoas recuperadas e elas tiverem déficits cognitivos, então isso vai afetar sua capacidade de trabalhar e sua capacidade de efetuar atividades do cotidiano”, aponta o neurocientista Adrian Owen, da Western University (Canadá).


Uma outra preocupação dos médicos e cientistas é em relação a ADEM. Em uma clínica londrina, os pacientes apresentaram uma rara encefalomielite disseminada aguda (ADEM, na sigla em inglês), na maioria das vezes vistas em crianças e que podem começar após infecções virais. Os autores do estudo disseram que, normalmente, veriam apenas um paciente adulto com esse tipo de lesão, por mês na clínica. Porém, essa frequência aumentou para ao menos uma vez a cada semana durante o período do estudo.


6BDC53EC-8180-46FF-86FA-BB1E195C4772.jpeg
31/jan/2022

Nos dias atuais não há quem não reclame que a vida está corrida. E pela falta de tempo, cada vez mais pessoas esquecem de priorizar a saúde.

O trabalho – e toda a rotina que advém dele – acaba tomando conta da agenda diária das pessoas e o corpo, que foi feito para estar em constante movimento, vai perdendo sua mobilidade e ficando cada vez mais parado.

E como consequência dessas escolhas, muitos deixam de lado a prática de atividades físicas, fazendo com o que o número do sedentarismo cresça assustadoramente.

A maioria dos profissionais de saúde recomendam que devemos andar 10 mil passos por dia. Este seria o número ideal para melhorar a saúde e reduzir os riscos causados ​​pela inatividade.

Uma das piores coisas que você pode fazer com o seu corpo é não fazer nada: passar o dia sentado pode ser tão perigoso quanto ser obeso, de acordo com um estudo da Universidade de Cambridge.

Quais os perigos do sedentarismo para a saúde?

Mundialmente, um em cada quatro adultos não está se movimentando o suficiente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. E mesmo se você acha que é uma pessoa ativa, pode estar passando tempo demais na frente da TV quando não está na academia, o que também coloca sua saúde em risco.

Uma das mais graves consequências do sedentarismo é sem dúvida a obesidade. O número de pessoas obesas cresce cada dia, sejam adultas ou crianças, a obesidade é sem dúvida um mal do nosso tempo.

A obesidade não é a única consequência do sedentarismo, existem outras prejudiciais para a saúde como o aumento do risco de câncer; diabetes tipo 2; desenvolvimento de doenças cardiovasculares; pressão alta e níveis elevados de colesterol.

Além disso, os efeitos do sedentarismo vão muito além do que você pensa. Claro, seu comportamento sedentário pode prejudicar seu coração e aumentar o peso, mas também pode ser responsável por alguns efeitos mais surpreendentes.

Sintomas e consequências do sedentarismo

Sedentarismo contribui para ansiedade e depressão: Nota-se que além do impacto físico, o sedentarismo traz também um impacto negativo no bem-estar mental da pessoa. Segundo alguns estudos, quem tem um estilo de vida sedentário tem maiores problemas com sua saúde emocional mental.

Anda sentindo-se deprimido? É culpa da sua cadeira! Depois de pesquisar mais de 3.300 funcionários do governo, pesquisadores australianos descobriram que homens que permaneciam mais de 6 horas por dia no trabalho tinham 90% mais chances de sentir distúrbios psicológicos moderados – como se sentir nervosos, inquietos, desesperados ou até cansados – do que homens que se sentaram por menos de 3 horas por dia.

Sedentarismo aumenta o risco de câncer: Uma análise alemã de 43 estudos diferentes, incluindo mais de 4 milhões de pessoas, descobriu que o comportamento sedentário aumenta significativamente o risco de vários tipos de câncer.

As pessoas que registraram o maior tempo sentadas experimentaram um risco 24 por cento maior de desenvolver câncer de cólon, um risco 32 por cento maior de câncer de endométrio e um risco 21 por cento maior de câncer de pulmão.

Além disso, os riscos dobram em pessoas que geralmente gastam seu tempo sentados na frente da TV, possivelmente porque você tende a comer bebidas açucaradas e junk foods, dizem os pesquisadores.

Sedentarismo prejudica sua memória: Sua saúde cerebral sofre quando você fica sentado por muito tempo: adultos mais velhos que são sedentários podem ter a mesma probabilidade de desenvolver demência do que pessoas geneticamente predispostas à condição, descobriu uma nova pesquisa publicada no Journal of Alzheimer’s Disease.

Em um estudo com mais de 1.600 adultos com 65 anos ou mais, os pesquisadores descobriram que pessoas com um gene fortemente associado à demência tinham quase duas vezes mais chances de desenvolvê-lo do que pessoas sem o gene. Mas quando olhavam para pessoas que não se exercitavam regularmente, descobriram que suas chances de desenvolver demência eram semelhantes.

Sedentarismo causa picos de açúcar no sangue: Mesmo se você estiver com um peso saudável, seus níveis de açúcar no sangue podem aumentar se você ficar parado em uma cadeira por muito tempo. Na verdade, os adultos sedentários têm maior probabilidade de ter níveis de açúcar no sangue de 5,7% ou mais, que é alto o suficiente para ser considerado pré-diabético.

Sedentarismo prejudica sua vida sexual: Seu comportamento sedentário pode levar a uma problemas sexuais. Homens com uma barriga maior – ou uma cintura de 100 cm ou mais – têm probabilidade duas vezes maior de ter disfunção erétil (DE) do que aqueles com cinturas abaixo de 80 cm, segundo um estudo de Harvard.

Sedentarismo reduz a qualidade do sono: Você já sentiu que dormiu mais profundamente depois de fazer um ótimo treino? Isso porque o exercício de pelo menos 150 minutos por semana pode melhorar a qualidade do seu sono. Quando as pessoas praticam atividade física, o risco de sonolência diurna cai em comparação com as pessoas que não se exercitam.

Sedentarismo causa dores na coluna:  Os efeitos de curvar-se na frente do computador podem durar além do seu dia de trabalho. Sentar-se por apenas 4 horas seguidas pode aumentar a pressão sobre os discos da região lombar. Essa compressão pode levar à degeneração do disco, um culpado comum por trás da famosa dor nas costas.

Como resolver os problemas causados pelo sedentarismo?

A solução para evitar os males do sedentarismo é bem simples: movimente-se!

O aumento da atividade física pode trazer fim para os problemas causados pelo sedentarismo.

Desta forma, inclua em sua rotina diária exercícios físicos regulares. Se a sua vida é bem corrida, organize-se, planeja-se e você verá que sempre tempo para cuidar da sua.

O que falta muitas vezes é um planejamento e, também, definições de prioridade. Em nosso dia-a-dia priorizamos reuniões, trabalho e esquecemos que para tudo isso funcionar é necessário ter saúde.

Por isso é fundamental que o sedentarismo saia da sua vida o mais rápido possível.

Algumas mudanças no cotidiano podem trazer benefícios rápidos para nossa saúde:

  • Vá caminhando ou de bicicleta para o trabalho;
  • Na hora do almoço faço passeios a pé por onde trabalha;
  • Lembre-se de se levantar a cada 30 minutos no trabalho;
  • Aproveite o tempo livre para se movimentar e não só assistir televisão;
  • Troque o elevador por escada.

Veja alguns dos benefícios do exercício físico para a saúde:

  • Controle do peso;
  • Melhora do perfil do lipidograma;
  • Melhora do humor;
  • Aumento da produção de energia;
  • Sono equilibrado;
  • Melhora do apetite sexual.

O corpo fica “feliz” com a prática de atividades físicas, tanto que mesmo cansado depois de atividade física, a sensação é de renovação e bem-estar.

É mais fácil do que você pensa de acabar com o sedentarismo, basta ter vontade, se planejar e criar novos hábitos saudáveis. Aumentando a quantidade de atividade física os riscos de uma vida sedentária acabam.


DD6F7E8E-FAA2-4F99-B436-AD41EB26453A.jpeg
25/jan/2022

Na atual situação que vivemos, muitas pessoas acreditam que a sua saúde mental está em risco. Isso porque encontramos alguns desafios em nosso cotidiano causados pelas mudanças devido ao coronavírus.

Além das obrigações rotineiras, há também uma gigantesca carga de informações, muitas vezes conflituosas e desgastantes, dos meios de comunicação, redes sociais etc…

Mesmo em casa não conseguimos descansar a mente completamente. Ela está sempre trabalhando, absorvendo informação e nos forçando a tirar conclusões sobre assuntos que não temos um profundo conhecimento.

Fazer uma pausa e respirar fundo em meio ao caos é importante. Quando não desaceleramos, danificamos a nossa saúde mental.

As pessoas tendem a não prestar atenção nisso porque mesmo quando cultivamos hábitos danosos conseguimos funcionar por um tempo. Porém, ainda não conseguimos desacelerar por nós mesmos.

Mas então como cuidar da saúde mental?

Alguns hábitos podem te ajudar a manter o psicológico saudável.

– Não passe muito tempo nas redes sociais

– Pratique exercícios físicos regularmente

– Se afaste de pessoas com pensamentos ruins

– Se preocupe mais com você e tente meditar ao menos uma vez ao dia

Com esses simples hábitos a sua saúde mental se manterá equilibrada.


52B9508B-7A6F-4EC3-AE86-88354AA144C1.jpeg
17/jan/2022

Dúvidas e desconhecimento sobre o coronavírus ainda são comuns passado mais de um ano do início da pandemia. Médicos e profissionais da saúde ainda estudam o vírus e suas CEPAS.

O que já se sabe é que a doença não afeta apenas o pulmão, mas também outros órgãos do corpo, como coração e rins. As sequelas do vírus são das mais diversas, vão desde fadiga persistente, déficit de memória, arritmia até perda de paladar. E a principal dúvida que surge entre as pessoas que foram infectadas é:

devo fazer um check-up médico? Quais especialidades devo procurar? E os exames?

O primeiro ponto é que depende muito do grau da doença que a pessoa teve: leve, moderado ou grave. As duas últimas envolvem, principalmente, a internação do paciente e, nos casos mais severos, a intubação em uma UTI. De uma forma geral, é importante que as pessoas façam, sim, um check-up e procurem um médico de confiança (independentemente da especialidade) após a recuperação da doença. É ele quem pode fazer essa avaliação mais ampla e indicar os especialistas que você deve procurar. Caso a pessoa não tenha um nome em mente, é indicado um clínico geral.

Para pessoas que tiveram um quadro leve uma consulta ao clínico geral e um exame físico podem ser suficiente. Esse profissional pode indicar um outro especialista a depender dos sintomas que a pessoa apresenta. Por exemplo: arritmia cardíaca, um cardiologista; perda de memória, um neurologista; ansiedade, quadros depressivos, um psiquiatra ou psicólogo; perda de cabelo, um dermatologista.

Quadros moderados e graves merecem mais atenção!

Esses são os casos que mais preocupam, principalmente quem necessitou do hospital para tratar a doença. De uma forma geral, o paciente vem com um comprometimento respiratório, porque a porta de entrada da covid-19 é o sistema respiratório e o primeiro comprometimento que se dá é a pneumonia viral, aí é indicado procurar um pneumologista, por exemplo.

Há pessoas que desenvolvem comprometimento cardíaco ou renal. Têm pacientes que apresentam descompensação de doenças preexistentes, como diabetes e hipertensão. Há quem desenvolva problemas neurológicos, com dificuldades motoras; também tem paciente que apresenta doenças nas articulações e há ainda as doenças psiquiátricas, desde um quadro de ansiedade, natural da situação, até surtos psicóticos. Por conta dessa gama de situações resultantes da infecção, é importante que o médico que deu a alta do paciente faça essa orientação de quais especialidades procurar.

A Gema Brazil disponibiliza para você o CHECK-UP EXECUTIVO. Saiba mais no nosso site.


1C3BBEE3-7B1E-430B-A7A3-CF19FE4C04AC.jpeg
08/jan/2022

Sabia que uma sessão de exercícios de 30 minutos pode fornecer proteção imediata e duradoura para seu coração?

Por que a atividade física faz tão bem para o coração? Existem muitas respostas para essa pergunta. A primeira, obviamente, é que o exercício queima calorias, o que ajuda a manter ou alcançar um peso ideal e saudável. Atividades físicas regulares também melhoram fatores ligados à saúde cardiovascular, resultando em uma menor pressão sanguínea, baixos níveis de colesterol e melhor controle do açúcar no sangue.

E isso não é tudo. O exercício também promove mudanças fisiológicas positivas, como estimular as artérias do coração a se dilatarem melhor. Isso também ajuda o sistema nervoso simpático (que controla a frequência cardíaca e a pressão arterial) a ser menos reativo. Mas essas mudanças podem levar semanas, meses ou até anos para atingirem seu efeito total.

No entanto, de acordo com a publicação médica JAMA Cardiology (edição de 29 de novembro de 2017), até mesmo uma única série de exercícios pode proteger seu coração imediatamente por meio de um processo conhecido como pré-condicionamento isquêmico. Descobriu-se que um pouco de isquemia – definida como um suprimento inadequado de sangue para parte do corpo, especialmente para o coração – pode ser uma coisa boa.

Seguindo o fluxo sanguíneo

“A ideia é que quando você tem um bloqueio coronariano e se exercita, a área do coração além do bloqueio está ‘faminta’ pelo fornecimento de sangue – mais do que quando você está em repouso”, diz a cardiologista Dra. Meagan Wasfy do Cardiovascular Performance Program no Hospital Geral de Massachusetts, afiliado à Harvard. “Isso estabelece uma série de vias moleculares e metabólicas que ajudam o coração a se adaptar a esse fluxo sanguíneo inadequado”, explica a doutora.

O pré-condicionamento isquêmico (ou exercício) é semelhante a algo que a Dra. Wasfy e seus colegas observam na rotina de pacientes com doenças cardíacas que se exercitam. Eles começam correndo, mas se sentem cansados ou têm angina rapidamente, então andam por alguns minutos. Mas uma vez que eles começam a correr novamente, parece muito mais fácil na segunda tentativa. Conhecido como “angina de aquecimento”, esse fenômeno foi descrito pela primeira vez há cerca de 200 anos.

O exato mecanismo biológico do pré-condicionamento isquêmico ainda permanece um mistério. Uma teoria aponta para um fator encontrado no sangue envolvido na ativação do receptor opióide. Mais importante, os benefícios podem se estender além de facilitar o exercício. Estudos em animais sugerem que o pré-condicionamento isquêmico parece proteger o coração caso um ataque cardíaco ocorra mais tarde, reduzindo o dano em até 50%.

Exercícios são uma apólice de seguro para seu coração

As pessoas com risco de doença cardíaca muitas vezes lutam com a incerteza de saber se suas artérias contêm placas de gordura que podem causar um ataque cardíaco. A menos que apresentem alguns sintomas específicos, é difícil justificar testes potencialmente invasivos ou caros.

O que pode ser reconfortante, no entanto, é pensar no exercício como uma apólice de seguro que pode oferecer proteção de curto e longo prazo para o seu coração. Uma única sessão de exercícios pode proteger o sistema cardiovascular por duas a três horas. Em essência, você está treinando seu coração para ser mais resiliente.

Mas essa proteção está condicionada a uma certa intensidade de exercício. Simplesmente andar o dia todo pode não funcionar. Para que seu coração trabalhe com afinco o suficiente para ativar as vias metabólicas moleculares responsáveis pela pré-condição do coração, você precisa se exercitar de forma moderada a vigorosa.

Quanto à duração dos exercícios, 30 minutos por dia é o ponto ideal para proteção de saúde quase máxima e resultam em benefícios como:

  • Prevenção de doenças cardíacas;
  • Redução do risco de alta pressão sanguínea, diabetes e derrame;
  • Ajuda a eliminar o hábito de fumar;
  • Auxilia na reabilitação cardíaca;
  • Estabelece boa saúde do coração em crianças;
  • Aumenta e fortalece a imunidade;
  • Reduz a pressão sanguínea em pessoas com pressão alta;
  • Ajuda a reduzir o stress, tensão, depressão e ansiedade;
  • Ajuda a controlar o peso;
  • Melhora a saúde geral e bem-estar, prolongando a saúde do coração.

Mas o ideal é dividir esses 30 minutos em três sessões de 10 minutos, recomenda a Dra. Wasfy. É importante também ressaltar, entretanto, que se você não estiver acostumado a fazer qualquer exercício, obtenha autorização e recomendação do seu médico antes de começar.


DFFB3B21-4F17-4DEA-8A99-B0FB91E9818A.jpeg
28/dez/2021

Os exames periódicos são capazes de detectar e prevenir doenças. Veja quais exames você deve fazer e conheça novas tendências de consulta médica.

Uma das maiores vantagens da medicina moderna e de seu progresso é o fato de que as doenças mais comuns hoje em dia podem ser tratadas, curadas ou controladas com sucesso, se diagnosticadas oportunamente.

Infelizmente, muitos pacientes aguardam o motivo mais comum para procurar ajuda médica: a dor. Como muitas doenças graves tendem a ficar em silêncio por um longo tempo antes de expor os primeiros sintomas, isso leva à perda de tempo precioso e a oportunidades de intervir com o tratamento a tempo. Os exames periódicos, também conhecidos como check-ups de rotina, são um importante método preventivo para garantir sua saúde e bem-estar a longo prazo.

 

Eles devem ser acompanhados sempre pelo seu médico de confiança, de preferência a mesma pessoa durante um longo período, para que ele possa acompanhar seu histórico médico e monitorar de perto os problemas de saúde já existentes. Alguns exames e análises de rotina podem ser realizados de vez em quando, sem programação precisa, enquanto outros testes específicos para algumas condições têm seu cronograma e frequência recomendados que devem ser respeitados.

A importância dos exames periódicos

Seja por falta de tempo ou preguiça mesmo, a maioria das pessoas passa anos sem ir ao médico, buscando a medicina somente quando os primeiros sinais de uma doença surgem em seu corpo.

O que estas pessoas não sabem é que os exames periódicos são fontes importantes para o rastreamento e identificação preventiva de doenças precoces.

Os exames periódicos são testes clínicos nos quais o qual o médico atesta sobre o estado de saúde da pessoa, levando em consideração os hábitos e antecedentes familiares.

A importância de um exame periódico consiste na capacidade de identificar e tratar doenças em estágios iniciais, o que aumenta drasticamente as chances de cura e recuperação do paciente.

 

Exames periódicos devem incluir testes laboratoriais

Exames de sangue de rotina, assim como alguns outros testes de laboratório, se realizados ocasionalmente, podem revelar uma miríade de condições subjacentes ou pelo menos sugerir que há algo errado com alguns dos órgãos.

Assim, o exame preventivo deve incluir hemograma completo com fórmula de glóbulos brancos, a concentração de açúcar no sangue, eletrólitos, análise de colesterol e outras frações de gordura no sangue, enzimas hepáticas e parâmetros renais, entre outros que o paciente exigir.

O teste específico deve incluir Papanicolau para mulheres, teste de antígeno específico da próstata, mamografia, exames de urina, imagem intestinal e radiografia de tórax.

 

Com que frequência devo fazer exames?

A frequência dos check-ups de rotina pode variar de pessoa para pessoa, pois ela se baseia no histórico de saúde de cada um, idade, sexo e hábitos.

Mas de um modo geral, para pessoas que não possuem qualquer problema de saúde, o indicado é que adultos devem fazer exames periódicos a cada dois anos.

Já aqueles que têm algum problema de saúde ou uma patologia na família, o indicado é fazer os check-ups anualmente.

Vale lembrar que quanto mais cedo se obtém um diagnóstico de uma doença, maiores são as chances de cura.

Por isso é tão importante que você passe em consulta médica rotineira, mesmo sem ter qualquer sintoma de uma doença. Por exemplo, uma mulher que está com o Papanicolau em dia poderá ficar tranquila quanto ao câncer de colo uterino.

Quais exames devo fazer periodicamente?

Alguns exames periódicos são mais específicos e indicados com base em faixas etárias, sexo e especialidades. Abaixo listamos alguns desses exames para que você possa conhecer melhor e agendar uma consulta com seu médico.

Mulheres: colposcopia, vulvoscopia, papanicolau, ultrassonografia de mamas e transvaginal.

Homens a partir dos 40 anos: dosagem do hormônio PSA e ultrassonografia de próstata.

Homens e mulheres após os 18 anos: devem ter um acompanhamento da dosagem hormonal.

Fumantes: Pessoas que fumam devem efetuar exames com marcadores tumorais, como alfafetoproteína, CEA e CA 19.9 e também fazer espirometria com avaliação de função respiratória, além de eletrocardiograma com prova de esforço e análise de expectoração com pesquisa de células cancerígenas.

Crianças: engana-se quem pensa que só adultos fazem exames de rotina. Já na maternidade é feito o primeiro check-up – o teste do pezinho. Com ele é possível antecipar a existência de algumas doenças importantes e iniciar o tratamento antes mesmo dos sintomas se manifestarem.

O teste do olhinho também é um importante exame do qual a criança deve ser submetida. Ele serve para investigar catarata congênita, glaucoma, cegueira e outros problemas.

Crianças de dois  anos de idade com pais e avós que apresentem problemas cardiovasculares e colesterol devem iniciar também os check-ups.

Já aquelas que não possuírem histórico familiar com doença poderão fazer seus primeiros exames entre 5 e 10 anos de idade.

Adolescentes: com o crescimento rápido, muitos adolescentes costumam apresentar anemia e, por isso, devem ter acompanhamento médico também entre 11 e 18 anos.

Pessoas em geral:

  • Exame de urina
  • Exame de fezes
  • Ureia e creatinina
  • Ácido úrico
  • Glicemia em jejum
  • Hemograma
  • Colesterol total e frações
  • Triglicerídeos
  • TGO/AST e TGP/ALT
  • TSH e T4 livre
  • Fosfatase alcalina
  • Gama-glutamiltransferase (GGT)
  • PCR
  • Raio X de tórax
  • Ultrassom de abdômen total
  • Densitometria óssea

 

O fato é que os exames de rotina são procedimentos fundamentais dentro da medicina capaz de avaliar o estado de saúde de uma pessoa. Portanto é imprescindível que você faça os exames recomendados de acordo com seus hábitos, sintomas e histórico familiar.

A Gema Brazil oferece a você o check-up executivo. Saiba mais no nosso site.


AdobeStock_209496139-1200x804.jpeg
14/dez/2021

O ano está acabando. E com isso chegam as festas e confraternizações entre família e amigos. Contudo é importantíssimo se ter atenção com a saúde. Principalmente com a saúde vascular. Os banquetes e a ingestão excessiva de álcool podem prejudicar, e muito, o seu coração.

As bebidas alcoólicas, por exemplo, devem ser consumidas com moderação, sempre mantendo uma boa hidratação com água.  A pressão alta pode piorar com o consumo de álcool, por isso, pacientes hipertensos precisam estar ainda mais atentos a esses cuidados.

O hábito de ingerir bebidas alcoólicas em excesso pode causar enrijecimento das artérias, o que facilita a ocorrência de acidente vascular encefálico e infarto agudo do miocárdio, com complicações que podem ser fatais.

Em relação aos banquetes de Natal e réveillon a alternativa é consumir o menos de gordura possível e substituir gorduras ruins por gorduras saudáveis. Como por exemplo usar óleos vegetais, como o de milho e o azeite de oliva.

As castanhas, como as nozes, amêndoas, castanhas de caju e a do Pará, as sementes de linhaça e abóbora, abacate e o peixe são ótimas opções para os pratos de Natal e Ano Novo.

Esses alimentos possuem gorduras que ajudam a aumentar os níveis sanguíneos de HDL – C (colesterol bom) e ajudam a evitar a aterosclerose (acúmulo de gordura na parede das artérias que pode causar obstrução, impedindo a passagem do sangue). Fibras, frutas, verduras, legumes e carnes magras também podem ajudar a compor uma mesa mais saudável.

A adoção de bons hábitos, mesmo durante as festas, é a melhor forma de diminuir a incidência desses problemas e garantir bons momentos com a família e amigos.


61CD505D-19DF-4939-B0BB-012F367D70C1.jpeg
02/dez/2021

Você sabe o que é concierge?
Concierge é um profissional que está pronto para atender as mais diversas demandas de um cliente. Facilitando sua vida e tornando sua experiência mais agradável.

A GEMA HEALTHCARE trouxe para o Brasil o serviço de Gestão de Concierge. Esse serviço faz com que o cliente possa ficar tranquilo em todos os estágios de seu tratamento médico. Desde o agendamento de passagens e hospedagem até as mais complexas cirurgias. Passando por consultas médicas e exames laboratoriais. Um diagnóstico sério de saúde precisa de cuidados especiais.

O concierge especializado em saúde auxilia na busca pelos melhores médicos especialistas, hospitais e laboratórios. Ou seja, assiste o paciente durante todo o processo de seu tratamento. O trabalho realizado por profissionais de conciergeria em saúde proporciona conforto e comodidade. Os concierges resolvem as burocracias para que o paciente possa concentrar seu tempo e energia com aquilo que é realmente importante, sua saúde.