VEJA NOSSAS NOVIDADES



AdobeStock_130747173-1200x675.jpeg

Moleza, desânimo e cansaço no meio do trabalho? Saiba que a resposta pode estar em sua alimentação.

A grande maioria das pessoas que trabalham fora costumam levar ‘comidinhas’ para o escritório para passar o dia. Mas sabia que a escolha destes alimentos pode afetar diretamente sua produtividade?

Assim como existem alimentos que aumentam nossa disposição, existem também aqueles que roubam a nossa energia. Eles podem atrapalhar bastante o seu cotidiano profissional.

Muitos alimentos influenciam em nossa produtividade diária e, por isso, tomar cuidado com a alimentação é fundamental no dia-a-dia no trabalho.

É importante destacar que a alimentação pode tanto auxiliar como atrapalhar a produtividade e a memória, causando fadiga e estresse.

Se você está tendo problemas com seu desempenho no trabalho, saiba que isso pode estar relacionado diretamente ao que você come.

É muito comum os funcionários estarem sonolentos e letárgicos após o almoço e, às vezes, até de manhã cedo. Isso ocorre principalmente com aqueles que costumam comer demais, já que para fazer a digestão nosso corpo acaba usando toda energia disponível.

Portanto, aquela ideia de comer muito porque tem um dia de trabalho cheio de compromissos profissionais é furada. Ao contrário, isso poderá causar mais desânimo e cansaço.

A comida tem um impacto direto em nosso desempenho cognitivo e, por isso, uma escolha errada no almoço poderá lhe trazer consequências pelo resto do dia.

Isto se deve também a refeições desequilibradas, com excesso de açúcar e carboidratos ruins

Sendo assim, o melhor a se fazer é escolher alimentos que forneçam energia e disposição, evitando os que nos tornam letárgicos.

 

Veja quais são os alimentos inimigos da saúde no dia-a-dia de trabalho

Carboidratos simples: arroz, macarrão, pão branco – são alguns exemplos de carboidratos ruins para nosso organismo, já que eles são digeridos rapidamente pelo nosso corpo, causando picos de glicemia.

O correto é o consumo de alimentos de carboidratos complexos, que são digeridos mais lentamente pelo corpo, como cereais integrais, vegetais e grãos, evitando assim os picos de energia que são prejudiciais para nossa saúde e por ‘roubarem’ a energia do nosso corpo.

Açúcar: É muito comum encontrar doces, bolachas e alimentos ricos em açúcar em gavetas e mesas de escritórios. E quanto mais tenso o dia, maior é o impulso de comer estes alimentos.

O excesso de açúcar em nosso organismo, gera picos (sobe/desce) rapidamente, fazendo com que tenhamos em um primeiro momento a sensação de disposição, mas rapidamente isso muda para fadiga e sonolência.

Excesso de café: Todo mundo costuma tomar um cafezinho para despertar e afastar o sono, mas, na verdade, o excesso de cafeína se torna altamente prejudicial para nosso organismo.

Beber demais pode trazer irritabilidade, inquietação, nervosismo, problemas de foco além, é claro, de dores no estômago.

Por isso, beba moderadamente.

Gorduras: coxinhas, salgadinhos de pacotes e até alimentos fritos (como batatas fritas) dificultam a digestão, além de não possuírem nenhum nutriente.

As chamadas gorduras ruins dificultam nossa digestão e fazem que os nutrientes que fornecem energia ao corpo cheguem mais lentamente à corrente sanguínea. Logo, aquele que o consome costuma ficar em estado letárgico.

Troque por alimentos ricos em fibras como frutas ou oleaginosas e notará a melhora do seu desempenho.

Bebida alcoólica: talvez um tanto incomum, mas há pessoas que costumam ingerir bebidas alcoólicas diariamente, ou quase diariamente, até mesmo na hora do almoço no trabalho. Uma taça vinho no almoço de negócios é um exemplo.

Enfim, ocorre que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas traz consequências para nosso organismo. Entre eles, a sobrecarga do fígado, dificuldade de absorção de vitaminas e nutrientes, como a tiamina (vitamina B1) umas das responsáveis pela geração de energia para o corpo e, também, alteração do nosso índice glicêmico.

Excesso de sal: O sal aumenta a nossa pressão arterial, por isso, consumido em excesso pode trazer alguns problemas de saúde e, também, sensação de cansaço.

Quem come fora diariamente costuma acaba achando a comida ‘sem graça’ e recorre ao sal para aguçar o sabor, o que é um erro.

O consumo destes alimentos, considerados ‘inimigos’ em nosso dia-a-dia, pode trazer consequências no ambiente de trabalho. Cochilar na mesa, ter problemas de foco e concentração e ter dificuldades em entregar os trabalhos no prazo são apenas alguns deles.

Não entre na lista dos funcionários ‘preguiçosos e desanimados’ da empresa. Comece hoje a fazer alimentações equilibradas, seu corpo agradecerá, bem como seus colegas de trabalho.

Por outro lado, empresas que possuem refeitórios e investem na qualidade de saúde dos seus funcionários conseguem evitar ou melhorar doenças pré-existentes e os sintomas descritos acima, oferecendo um cardápio saudável a fim de manter os profissionais ativos e produtivos, em um ambiente onde todos só têm a ganhar.

Investir em boas refeições servidas em cantinas ou refeitórios dentro da empresa é, sem dúvida, uma oportunidade de aumentar a produtividade de seus funcionários.

A qualidade dos alimentos que você ingere ajudará a definir o tipo de desempenho e produtividade. Escolha sabiamente e você começará a ver a diferença.


AdobeStock_145218534-e1557229287450-1200x978.jpeg
07/Maio/2019

Adotar uma nova rotina alimentar não significa privar-se dos alimentos que você gosta. Saiba aqui como ser mais saudável sem sofrimento.

A alimentação saudável não tem a ver com restrições alimentares rigorosas, nem com um emagrecimento irreal ou com a privação dos alimentos que você gosta. Ter uma rotina alimentar saudável está ligado a sentir-se bem, ter mais energia, melhorar sua saúde e o seu humor.

Se você já se sentiu confuso ou perdido por causa de inúmeros conselhos de nutrição e dietas conflitantes, saiba que não está sozinho. Parece que para cada especialista que lhe diz que determinado alimento é saudável, você encontrará outro dizendo exatamente o contrário. Mas, usando algumas dicas simples, você pode acabar com a confusão e aprender a criar – e manter – uma rotina alimentar saborosa, variada e nutritiva que faça bem tanto para seu corpo quanto para sua mente.

O que é uma rotina alimentar saudável?

Aderir à uma rotina alimentar saudável não precisa ser algo excessivamente complicado. Embora alguns alimentos ou nutrientes específicos tenham demonstrado um efeito benéfico sobre o humor, é a sua rotina alimentar geral que é mais importante. A pedra angular de uma rotina alimentar saudável deve ser substituir alimentos processados por alimentos ‘verdadeiros’ sempre que possível. Ingerir alimentos que estão o mais próximo possível da forma como a natureza os criou pode fazer uma enorme diferença em sua mente, nas suas emoções e na sua aparência.

Os principais fundamentos de uma rotina alimentar saudável

Apesar de algumas dietas mais radicais sugerirem o contrário, todos nós precisamos de um equilíbrio de proteínas, gorduras, carboidratos, fibras, vitaminas e minerais em nossa alimentação para manter um corpo saudável. Você não precisa eliminar determinadas categorias de alimentos da sua dieta, mas sim selecionar as opções mais saudáveis de cada categoria.

Proteína: A proteína fornece a energia para que você possa fazer suas atividades, ao mesmo tempo em que controla o humor e a função cognitiva. Muita proteína pode ser prejudicial para pessoas com doença renal, mas pesquisas recentes sugerem que muitos de nós precisamos de mais proteína de alta qualidade, especialmente à medida que envelhecemos. Isso não significa que você tenha que comer mais produtos de origem animal – uma variedade de fontes de proteína à base de vegetais por dia pode garantir que seu corpo receba toda a proteína essencial de que precisa.

A proteína animal traz muitos benefícios para nossa saúde. Por isso, quem opta por uma dieta vegetariana ou vegana, deve procurar a ajuda de um nutricionista para que ele possa indicar os suplementos corretos que complementam as vitaminas e nutrientes necessários para o organismo.

Gordura. Nem toda gordura é igual. Enquanto gorduras ruins podem prejudicar sua saúde e aumentar o risco de certas doenças, gorduras boas protegem seu cérebro e coração. De fato, gorduras saudáveis – como ômega-3 – são vitais para sua saúde física e emocional. Incluir mais gordura saudável em sua dieta pode ajudar a melhorar seu humor, aumentar seu bem-estar e até mesmo afinar sua cintura.

Fibras: Comer alimentos ricos em fibras (grãos, frutas, verduras, nozes e feijões) pode ajudá-lo a se manter regular e diminuir o risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes. Também pode melhorar a sua pele e até ajudá-lo a perder peso.

Cálcio: Além de levar à osteoporose, a falta de cálcio em sua rotina alimentar também pode contribuir para a ansiedade, a depressão e dificuldades para dormir. Seja qual for a sua idade ou sexo, é vital incluir alimentos ricos em cálcio na sua alimentação, além de obter magnésio e vitaminas D e K suficientes para ajudar o cálcio a fazer o seu trabalho.

Carboidratos: Os carboidratos são uma das principais fontes de energia do seu corpo. Mas a maioria deve vir de carboidratos complexos (vegetais, grãos integrais, frutas), em vez de açúcares e carboidratos refinados. Cortar o pão branco, os doces, o amido e o açúcar pode prevenir picos rápidos de glicemia no sangue, flutuações de humor e energia e um acúmulo de gordura, especialmente em torno do abdômen.

Como adotar uma rotina alimentar saudável?

Mudar para uma rotina alimentar saudável não precisa ser uma decisão de tudo ou nada. Você não precisa ser perfeito, você não precisa eliminar completamente os alimentos de que gosta e não precisa mudar tudo de uma só vez – isso geralmente só te leva a trapacear ou desistir do seu novo hábito alimentar.

Uma abordagem mais sensata é fazer pequenas mudanças de cada vez. Mantendo seus objetivos modestos pode ajudá-lo a conseguir melhores resultados a longo prazo, sem se privar ou sobrecarregar devido a uma mudança drástica na alimentação. Planeje uma dieta saudável como uma série de pequenos passos – como adicionar uma salada à sua refeição uma vez por dia. À medida que suas pequenas mudanças se tornam hábitos, você pode continuar adicionando mais opções saudáveis.

Por onde começar?

Para se preparar para o sucesso, tente manter as coisas simples. Adotar uma rotina alimentar mais saudável não precisa ser complicado. Em vez de se preocupar excessivamente com a contagem de calorias, por exemplo, pense em sua dieta em termos de cor, variedade e frescor. Concentre-se em evitar alimentos embalados e processados e optar por ingredientes mais frescos sempre que possível.

Prepare suas próprias refeições. Preparar suas refeições em casa pode lhe ajudar na qualidade dos alimentos e a monitorar melhor os ingredientes. Você comerá menos calorias e evitará os aditivos químicos, o açúcar e as gorduras insalubres de alimentos embalados e prontos para viagem que podem causar cansaço, inchaço e irritabilidade e exacerbar os sintomas de depressão, estresse e ansiedade.

Faça as mudanças certas. Ao reduzir os alimentos não saudáveis em sua alimentação, é importante substituí-los por alternativas saudáveis. Substituir gorduras trans perigosas por gorduras saudáveis (como trocar frango frito por salmão grelhado) causará uma mudança positiva na sua saúde. No entanto, trocar as gorduras animais por carboidratos refinados (como trocar o bacon por um doce), não diminui o risco de doenças cardíacas e nem melhora o seu humor.

Leia os rótulos. É importante estar ciente da composição dos seus alimentos, pois os fabricantes costumam esconder grandes quantidades de açúcar ou gorduras insalubres em alimentos embalados, até mesmo alimentos que alegam ser saudáveis.

Veja como você se sente depois de comer. Isso ajudará a promover novos hábitos e atitudes saudáveis. Quanto mais saudável a comida que você come, melhor você se sentirá depois de uma refeição. Quanto mais ‘junk food’ você comer, maior a probabilidade de sentir-se desconfortável, enjoado ou esgotado.

Beba muita água. A água ajuda a drenar de nosso organismo resíduos e toxinas, mas muitos de nós passam pela vida desidratados – causando cansaço, pouca energia e dores de cabeça. É comum confundir sede com fome, por isso, manter-se bem hidratado também ajudará você a fazer escolhas alimentares mais saudáveis.

Planejamento e moderação são a chave para uma boa rotina alimentar

O que é moderação? Em essência, significa comer apenas o máximo de comida que seu corpo precisa. Você deve se sentir satisfeito no final de uma refeição, mas não estufado. Para muitos de nós, moderação significa comer menos do que comemos atualmente. Mas isso não significa eliminar os alimentos que você ama.

Jantar pizza uma vez por semana, por exemplo, pode ser considerado moderação se você tiver um café da manhã e almoço saudáveis – mas não se você já começar o dia comendo doces e almoçar um hambúrguer.

A alimentação saudável começa com um grande planejamento. Você terá vencido metade da batalha da rotina alimentar saudável se tiver uma cozinha bem abastecida, um estoque de receitas rápidas e fáceis e muitos lanches saudáveis.

O resultado dessa sua nova rotina alimentar será mais disposição, um melhor humor e maior capacidade de concentração nas suas tarefas. Ao optar pela alimentação saudável, você só tem a ganhar.